Do Brasil à Argentina, do Equador à Venezuela, o quadro é o mesmo

A origem do ‘golpismo midiático’ na América Latina