A arte de escrever em OITO tópicos segundo um dos maiores estilistas da história: Schopenhauer. Por Paulo Nogueira

'A mente trivial é reconhecida pelo seu estilo afetado'
‘A mente trivial é reconhecida pelo seu estilo afetado’

Schoppenhauer é um niilista brilhante. Foi fortemente influenciado pelo budismo e sua visão de que a vida é sofrimento, sofrimento e ainda sofrimento. O pensamento oriental o marcou tanto que ele deu a seu poodle o nome de Atma – alma, em sânscrito. Sua frase clássica é uma que diz: “A pior coisa que pode acontecer a alguém é nascer”.

Fora filosofar, Schoppenhauer foi, também, cultor do estilo. Escreveu um livro chamado A Arte de Escrever, lançado no Brasil pela LPM. Selecionei alguns tópicos. Qualquer pessoas que escreva – ainda que apenas emails – ganha lendo.

1) Usar muitas palavras para comunicar poucos pensamentos é o sinal incondundível da mediocridade. O homem inteligente resume, ao contrário, muitos pensamentos em poucas palavras.

2) Um bom cozinheiro pode dar gosto até a uma sola de sapato. Da mesma forma, um bom escritor pode tornar interessante o assunto mais árido.

3) Existem três classes de autores. Primeiro, aqueles que escrevem sem pensar. Escrevem a partir da memória, de reminiscências, ou diretamente a partir de livros alheios. Essa classe é a mais numerosa. Em segundo lugar, há os que pensam para escrever. Eles pensam justamente para escrever. São numerosos. Em terceiro lugar, há os que pensaram antes de se pôr a escrever. Escrevem exatamente porque pensaram. Estes são raros.

4) Não há nenhum erro maior do que imaginar que a última palavra usada é a melhor, que algo escrito mais recentemente constitui um aprimoramento do que foi escrito antes, que toda mudança é um progresso.

5) Não há nada mais fácil do que escrever de maneira que ninguém entenda. Em compensação, nada é tão difícil quanto expressar pensamentos significativos de modo que todos os compreendam.

6) Palavras ordinárias podem ser usadas para dizer coisas extraordinárias.

7) A mente trivial é reconhecida pelo seu estilo afetado.

8) Como alguém que de tanto cavalgar desaprende de andar, alguns eruditos de tanto ler livros se tornam burros.

Acompanhe as publicações do DCM no Facebook. Curta aqui.

Clique aqui e assine nosso canal no youtube

COMPARTILHAR
Paulo Nogueira

O jornalista Paulo Nogueira é fundador e diretor editorial do site de notícias e análises Diário do Centro do Mundo.