“Aquele velhinho me colocou de volta no meu lugar”: o dia em que David Bowie recuperou o senso de humanidade perdido.

O músico Guy Pratt, que trabalhou em dezenas de grandes álbuns e turnês, contou recentemente para o produtor Paul Waller a historia do dia em que David Bowie recuperou seu senso de humanidade, então perdido em meio ao glamour da carreira meteórica de um jovem. Waller transcreveu a historia no Facebook.

“Estou no set com David Bowie e parte do trabalho que me atribuem é mantê-lo atento e inspirado enquanto faziam pequenas mudanças na posição de luz e câmera. Nós tínhamos uma mudança que levaria entre 10 e 15 minutos para a gravação de Miracle Goodnight [faixa do álbum Black Tie White Noise, de 1993].

Eu decidi puxar um papo para matar o tempo – vamos admitir que eu estava falando com meu herói de infância. Perguntei, então, qual havia sido o maior momento de sua carreira. Sua resposta foi ÉPICA, e se deu assim:

Bowie: Bom, deixa eu te contar. Eu tinha aquela atitude de popstar jovem. É fácil se deslumbrar com a adulação. Isso muda você. Então eu estava no set do vídeo-clipe de Ashes To Ashes, conhece essa?

Eu: Sim, conheço (pensando, cara, se ele tivesse a menor ideia o quanto…)

Bowie: Então a gente está nessa praia filmando com um trator gigante. A câmera está bem longe com uma lente bem grande. Neste vídeo eu estou vestido dos pés à cabeça com uma roupa de palhaço, por quê não. Eu ouço a música começando, então eu começo a cantar e andar, mas assim que começo esse velhinho andando com um cachorro começa a andar entre eu e a câmera.

Eu: Risos (vendo o vídeo na cabeça e imaginando como teria sido)

Bowie: Bom, sabendo que demoraria um pouco, eu passei pelo velho e sentei ao lado da câmera. Quando ele chegou mais perto da câmera, o diretor disse: ‘licença, o senhor sabe quem é este aqui?’. O velho me olha do cima a baixo e diz ‘claro que sei. É um idiota numa roupa de palhaço’ [a palavra utilizada é ‘cunt’, literalmente traduzida como ‘boceta’]. Foi um momento importantíssimo para mim. Me colocou de volta no meu lugar e me fez entender que, sim, eu era só um idiota numa roupa de palhaço. Eu penso sobre esse velhinho o tempo inteiro.”