Gaviões é combatida por levar faixas contra Globo e Capez, diz fundador da organizada

Postado em 21 de março de 2016 às 10:53 pm

Da Blog do Menon, na Folha:

Francisco Malfitani, jornalista e publicitário com 30 anos de atuação em marketing político, também é – e para ele, isso é mais importante que tudo – fundador da Gaviões da Fiel. Foi em 1969, no momento mais terrível da Ditadura Militar. Hoje, quase meio século depois, ele vê o mesmo clima de perseguição contra a torcida. Culpa, segundo ele, da ação seletiva da PM e também da inação da diretoria do clube.

A seguir, a entrevista.

A PM e a Gaviões tem entrado em conflito. Há relação com o que se vivia em 1969, na fundação da torcida?

Total relação. A Gaviões nasceu por três motivos: 1) apoiar o Corinthians; 2) lutar contra a ditadura de Wadih Helou, que se apoiava no clube para se eleger deputado pela Arena, partido da Ditadura e 3) lutar contra a Ditadura Militar. Fomos reprimidos por levarmos faixas aos estádios pedindo Anistia, Diretas Já e fim da Ditadura. Hoje, somos combatidos por levarmos faixas contra a TV Globo  e contra Fernando Capez, o falso arauto da moralidade.

O que tem de errado com a Globo e com Capez?
Contra a Globo, é a questão do horário. Jogo às dez horas é ruim até para quem está em casa e precisa acordar cedo para trabalhar. É um dado a mais da elitização do futebol. O Capez se tornou o grande inimigo das torcidas organizadas e se elegeu deputado assim. E agora se envolve na mais podre corrupção, aquela que tira comida da mesa das crianças.

Clique aqui e veja as 10 noticias que você precisa ler agora