Mulher de Cunha pede que investigação sobre contas na Suíça fique no STF e não com Moro

Postado em 7 de março de 2016 às 10:15 pm

Do G1:

A jornalista Cláudia Cruz, mulher do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), pediu nesta segunda-feira (7) para que as investigações sobre ela num inquérito sobre contas secretas na Suíça em nome do casal seja mantido no Supremo Tribunal Federal (STF). A decisão caberá ao relator do caso, ministro Teori Zavascki.

O pedido se opõe à recomendação da Procuradoria Geral da República (PGR) de desmembrar o caso, para que Cláudia e uma das filhas de Cunha, Danielle, fossem investigadas na primeira instância da Justiça Federal, pelo juiz Sergio Moro, que conduz ações da Operação Lava Jato no Paraná.

No pedido, a defesa de Cláudia Cruz defendeu a investigação conjunta no STF sob o argumento de que as provas e testemunhas sobre o caso são as mesmas. “Neste caso existe ligação umbilical, vinculação essencial ou essencialidade na produção de provas”, diz um trecho do pedido.

Na semana passada, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou denúncia contra Cunha no STF acusando-o de evasão de divisas, corrupção passiva, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica eleitoral no caso das contas na Suíça.

Segundo a Procuradoria, Cunha recebeu pelo menos US$ 1,31 milhão — R$ 5,2 milhões —  em uma conta na Suíça. O dinheiro, segundo a Suíça, foi recebido como propina pela viabilização da aquisição, pela Petrobras, de um campo de petróleo em Benin, na África.

Clique aqui e veja as 10 noticias que você precisa ler agora