Queremos um país padrão Fifa

A sabedoria por trás do bordão popularizado nas manifestações.

padrão fifa

 

Um dos cartazes mais populares das manifestações dizia que “queremos hospitais padrão Fifa”. O bordão acabou pegando. Me lembro de um sujeito que gritava, num protesto, que seu sonho era uma mulher padrão Fifa.

“Meu governo é padrão Felipão”, disse Dilma. É uma forma de desconversar e, de certa maneira, embute uma admissão de que ela não chegou lá.

O padrão Fifa se tornou uma espécie de ISO 9000, um selo de qualidade para produtos e serviços. Sim, o nome da entidade está ligado à corrupção – mas a Fifa faz exigências que deveriam ser, no mundo ideal, default.

Curiosamente, em 2007, um relatório da entidade dizia que os hospitais brasileiros eram suficientemente bons para receber o torneio. “Nós não prevemos que o Brasil tenha nenhum problema para cumprir os elevados padrões estabelecidos pela Fifa para todos os envolvidos na Copa do Mundo de 2014”, diz o documento.

Jerome Valcke, secretário geral da entidade, tentou explicar a equação. “São as 32 melhores equipes do mundo. Um bilhão de pessoas assistindo à final. Três milhões de pessoas nos estádios etc etc. Quando temos estes números, temos que fazer o melhor. Não podemos desapontar as pessoas. Elas esperam o melhor tanto dentro do campo, quanto nas cidades. Querem se divertir quando vierem para o Brasil. Por isso pedimos muito, pedimos o melhor. Por isso nosso padrão é tão alto”.

Havia um recado irônico óbvio nos cartazes. Mas estamos mais exigentes e isso não é piada. As pessoas sabem que os dois países distintos que conviveram na Copa das Confederações precisam ser um só.

Categorias
Esporte

Diretor-adjunto do Diário do Centro do Mundo. Jornalista e músico. Foi fundador e diretor de redação da Revista Alfa; editor da Veja São Paulo; diretor de redação da Viagem e Turismo e do Guia Quatro Rodas.
  • Lila

    Sabe o que me chateia, Kiko? É que nessa história toda de copa e FIFA, os investimentos públicos em infraestrutura (e se é que vão dar o retorno apregoado) estão restritos às 12 cidades que sediarão os jogos. Como se o Brasil se reduzisse a elas, como se a população brasileira digna e apta a esses serviços fosse somente aquela residente e/ou visitante dessas cidades.

    Sabe o que isso significa? O aumento do fosso social entre as cidades sedes dos jogos e as demais espalhadas por esse Brasilizão. É como se os moradores das demais cidades fossem cidadãos de segunda classe, cujos anseios podem esperar o apito final.

    • Mauricio Andreoli

      Lila,

      Infelizmente fomos iludidos pelo evento Copa do Mundo e estamos percebendo seus efeitos negativos apenas agora.
      Foi dado ênfase na construção ou reforma dos estádios em detrimento aos investimentos sociais que o evento traria para as cidades sedes.
      No quesito mobilidade, veja o tanto que estamos aquém do anunciado:
      http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/07/1304771-gasto-da-uniao-com-mobilidade-e-so-14-da-verba-anunciada-para-o-setor.shtml
      Ouvi em 2007 que o anúncio desses eventos esportivos era para desviar nossa atenção. Achei um pouco exagerado, mas hoje receio ter que concordar…

      • Jorge Vieira

        Meu caro:

        Sabe quanto foi gasto com Saúde Pública (Orçamento Federal) nesses 7 anos em que estão sendo construídos os estádios e a infraestrutura para a Copa do Mundo ? R$ 500,00 bilhões de reais.
        Compare com os investimentos em infraestrutura para a copa: R$ 23,00 bilhões para aeroportos, portos, estradas, mobilidade urbana, etc.
        Para estádios: R$ 7,00 bilhões de dinheiro público, emprestados.
        Não me enche o saco.

        • helcio dias de sa

          Cifras publicadas no cartel midatico sao como pinto de japonês,todos afirmam que sao desse tamaninho,salario celebridades de atletas tambem sao um achado astronomico,na realidade ,todo anão tem uma manjuba tamanho padrao.O resto é fantasia..Bom papo na internet.

        • Mauricio Andreoli

          Meu caro:

          As cifras informadas são valores disponibilizados no orçamento federal que no geral não são aplicados e retornam ao governo. Além disso, se acompanhar o caos dos hospitais públicos verá que o dinheiro não chegou.
          Quanto a te encher o saco, meu comentário foi em resposta a outra pessoa, de maneira alguma não relacionado a você. Portanto, não me encha você com sua soberba de dono da verdade.

          • Jorge Vieira

            Caro Maurício:
            Eu extrapolei, você tem razão. Mas, tá difícil aceitar argumentos sem o lastro de informações confiáveis.
            O que eu informei acima pode ser verificado.
            Quanto aos recursos não serem aplicados, faço minha as palavras de uma manifestante: “o problema não é falta de recursos ” O que ocorre é que os Governos Federal, Estaduais e Municipais não podem liberar recursos sem seguir um processo complexo. Se o fizererem, o TCU, a CGU, o MP caem em cima do gestor público e pode até dar cadeia. O país tá muito complicado

          • Mauricio Andreoli

            Prezado Jorge,
            O link que coloquei na resposta ao comentário da Lila fala exatamente disso: disponibilizam o recurso no orçamento sem antes haver estudo ou projeto definido. Como isso demanda tempo o recurso não é utilizado em tempo hábil, perdendo a validade do mesmo e a obra não é executada. Nesse link fala exclusivamente das obras de mobilidade para a Copa.
            Abraço

        • Fabio

          Jorge concordo se não me engano para manter o Brasil como esta se gasta 900bilhões por ano, e a cada ano para manter o congresso aberto com 515 deputados e 81 senadores custa + de 8 bilhões em 4 anos se paga a Copa. temos que fazer uma reforma politica urgente, diminuir este custo e ter um governo mais pragmatico

      • fps3000

        O dinheiro que será investido nesses estádios vem de empréstimos, que serão pagos, e renúncias fiscais, que nada mais são do que incentivos semelhantes aos que as multinacionais recebem para ir ao fim-do-mundo instalar suas empresas.
        No final, ficaremos no lucro.

        • Mauricio Andreoli

          As renúncias fiscais foram dadas para se transformarem em benefícios para a população adjacente através infraestrutura urbana, o que não se viu até agora.
          Portanto continuo descrente quanto aos benefícios.

          • fps3000

            Bem que eu gostaria que tudo fosse licitado no padrão FIFA, rapidamente e sem lenga-lenga: mas não é assim.

    • kikonogueira

      Não tem padrão Fifa que resolva isso, Lila…

  • helcio dias de sa

    Heuristica da coisa:Se ta caro,carissimo,é danado de bom.Nao se faz copa com hospitais ,mas,se faz muitos hospitais com copa,faz passeatas,acorda o dorminhoco,retira gente da cova,aumenta a auto-estima,o orgulho de ser brasileiro,sensaçao de pertencimento.As copas aumentam visibilidade até para cego.Dizem que o povo tambem nao sabe votar,porque o posto ypiranga da corrupçao sao as agencias de publicidade que abastece o cartel midiatico que enche o povo com informaçoes tipo,Demostenes Torres ,(personalidade entre os 100 mais influentes da revista epoca)tambem reserva moral da revista Veja.O Malufe eterno corrupto do cartel midiatico manda e desmanda em Sao Paulo,esnoba uma grana que dizem retornar ,jura que nao é dele,deve ser dizimo devolvido pelo divino.Agora teremos com receita do pre sal padrao fifa , na educaçao,vamos ter roupa de griffe como uniforme,caderno com capa de ouro,cadeiras com estofado de couro,predios escolares em granitos e burros alienados como eu tentando entender o espirito da coisa,A turma do cura gay,quer 10% de dizimo do pre sal,manter padrao fifa para pastores foge do alcance dos dizimistas.

  • João Dantas Júnior

    Acredito que a partir desse Junho de 2013 nós, o povo, passamos a ser a FIFA e de agora em diante devemos impor o que queremos como padrão.

  • outro Edson

    O padrão fifa é péssimo. Não quero nada nesse padrão.

  • Niteroiense

    O Padrão FIFA é excludente. Quero um país com inclusão social ampla e bons serviços. E Dilma está mais pra Felipão mesmo, porque não joga bonito, mas é eficiente.

  • Jorge Vieira

    Essas moças da foto, segurando aqueles cartazes, jamais foram a um hospital público.
    O pai da minha secretária foi a um hospital público depois de um ataque cardiáco e, depois de colocar tres pontes de safena, está vivo e lampeiro até hoje.
    Dois anos depois, teve um pequeno problema no coração e foi internado novamente.
    Após alguns dias de internação, recebeu alta e recusou-se a sair do hospital, alegando nunca ter sido tão bem tratado.
    A neta dele, adolescente, engravidou, foi acompanhada durante o pré-natal pelo SUS, e teve o filho, normamente, sem
    problemas, sempre atendida pelo SUS.
    Quem protesta contra a Saúde Pública no Brasil deve mudar-se para os EUA e ver o que é bom p’ra tosse.

    • Rodrigo Rodrigues

      Prezado Jorge você não está certo e lhe digo com com certeza. Já pensou em VOCÊ ir a um hospital público? Então tente ir e depois poste aqui com autoridade.

      • Jorge Vieira

        Caro Rodrigo: Eu realmente não preciso de hospital público.

        Entretanto, a minha filha, que mora em São Paulo e é violinista, teve o azar de cair da bicicleta e fraturou um dos dedos da mão. Na emergência, correu para um hospital público e resolveu o problema sem maiores dificuldades, inclusive foi lhe oferecido fisioterapia.

        O meu genro (de outra filha), que é norte-americano, ficou abismado: me disse que esse atendimento nos EUA custaria perto de U$ 10.000 dolares.

        Também, quando ela era mais jovem, eu a levei para um PS público para tomar vacina contra o HPV. Fomos atendidos em menos de 5 minutos. A vacina é realizada em tres etapas. Foi tudo normal.

        Eu, há anos, tomo vacina em PS públicos e nunca tive problemas.
        Sei que existem problemas, mas da maneira como as reivindicações estão se encaminhando, teremos uma mudança de governo radical e haverá um grande retrocesso social e econômico.
        Mas, se a população assim deseja, só nos resta acatar.
        Cada povo escolhe a desgraça que lhe apetece de forma livre e soberana: vide a Espanha, Grécia, Portugal, Egito, etc.

  • betão

    Minha cidade em São Miguel do Oeste, Santa Catarina a saúde vai muito bem obrigado…temos um hospital regional que atende muito bem… temos uma unidade de pronto atendimento…o problema são as pequenas cidades do entorno que não conseguem contratar médicos oferecem salário de r$ 20.000,00 a desculpa de quem não quer vir é a suposta falta de estrutura…são cidades com 2.000 habitantes e São MIguel do Oeste que é polo regional tem tudo para dar suporte a estas pequenas cidades mais a upa que tem laboratório completo para analises clinicas…o problema é que os ricos estudam nas federais e não querem vir para o interior e ficar sem os luxos dos grandes centros…e ficam agora criando casa porque Dilma quer trazer médicos cubanos para as pequenas cidades…e pelo que li os estudos da EY e FGV a copa vai render aproximadamente 142 bilhões para o pais as maiores beneficiados são os grandes centros…mas é lá que estão os maiores problemas de segurança e mobilidade investe em mobilidade e ao mesmo tempo mostra que o Brasil não se limita ao Rio de Janeiro…é bem maior que isso…uma diversidade incrivel…essa critica com a saúde é coisa de coxinha golpista

  • fps3000

    O padrão FIFA é o padrão shopping, padrão centro de convenções, padrão salão do automóvel e outras convenções do tipo, feitas para durar poucos dias e dar rios de dinheiro aos seus organizadores, e uns bons trocados ao resto da equipe.
    Hospitais padrão FIFA são aquelas maternidades cheias de badulaques e fofoletes para as crianças, mas que não são capazes de cuidar da mãe quando ela está entre a vida e a morte.
    Escolas padrão FIFA são aquelas que fazem do seu filho um expert em passar no vestibular, mas que não estão nem aí para formar um cidadão consciente e digno.
    Se é para querer uma meta, quero que nossos hospitais sejam como a Rede Sarah ou o INCOR, com médicos de família cubanos ou brasileiros e postos de saúde bem equipados atendendo bem a quem precisa.
    Quero escolas como nossos IFET´s e Colégios Militares, ou as ETEC´s e FATEC´s de São Paulo ou os CIEP´s do Brizola, com professores primários e secundários qualificados recebendo dignamente o mesmo que seus pares do ensino superior, e sem precisar envolver dinheiro do pré-sal, pois já investimos muita grana do Brasil nisso.
    Padrão FIFA é bom, é bonito, mas serve para eventos, não para um Brasil que precisa de efetividade nos serviços, não do “bonitinho mas ordinário”.

    P. S.: Ah, e quero esses estádios padrão FIFA privatizados depois da Copa … cuidar deles é mais caro que construí-los, se vocês não sabem disso.

  • fps3000

    É de um lugar onde tudo funciona corretamente: o SUS é resultado de ações conjuntas dos governos federal, estadual e municipal. Onde os três funcionam bem o sistema é ótimo.

  • Jorge Vieira

    Outro justiceiro ? Que tal você se informar sobre o processo do mensalão para tirar conclusões menos preconceituosas ?

    Sei que é difícil reverter crenças arraigadas.

    Os supostos mensaleiros correm o risco de serem linchados após essas manifestações. Parece-me que você estará na linha de frente desse linchamento.

    Depois disto, no governo de extrema-direita que deve assumir em 2015, você terá a oportunidade de conseguir uma vaga de carcereiro na prisão em que estarão José Dirceu e José Genoino (se ainda estiverem vivos). Aí você realiza aquele sonho de consumo básico de todo saudosista da ditadura militar.

  • Jorge Vieira

    Caro Arthur:
    Como eu disse, sei que existem problemas graves nas grandes capitais, especialmente nas periferias das grandes metrópoles, e especialmente em São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Na capital do Nordeste em que moro, o atendimento, na média, é satisfatório. Na capital, recentemente, foi construído mais um grande e moderno hospital somente para o atendimento à mulher pela ex-prefeita do PT que, mesmo assim, entre outras realizações, não conseguiu eleger o sucessor. Já o Governador, do PSB, inaugurou, também, um grande e moderno hospital em uma cidade-polo do interior.
    Entretanto, tem um grande e antigo hospital na capital que é uma loucura. Toda a população vizinha à capital se desloca para ser atendido nesse hospital. Quando o hospital está superlotado, com macas pelos corredores, a imprensa vai fazer uma cobertura e cai em cima do prefeito e do governador. Logo, no mês seguinte, a verba de publicidade governamental para os jornais locais aumenta. É o Brasil.
    O meu genro, que é norte-americano, critica veementemente o Sistema de Saúde Pública dos EUA. Lá, de acordo com ele, quem não tem plano de saúde privado morre à míngua.
    Aqui, se buscou uma saída com os planos de saúde privados. Hoje, pelo que tem sido noticiado, até esse sistema está falhando e muito. E, a responsabilidade mais uma vez, é imputada aos governos, pela imprensa e pela população. Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come. Caramba ! Se você privatiza e não dá certo, a culpa é do governo porque não fiscalizou. Se você estatiza e não dá certo, a culpa é desse comunista lulopetista.
    O Brasil criou o melhor dos mundos para os empresários que adquiriram as empresas estatais no governo FHC. O governo FHC criou as agências reguladoras. Assim se as empresas privatizadas apresentarem problemas, como é o caso das empresas de telecomunicações, a responsabilide não é dos empresários que não sabem gerir suas empresas e, sim, do governo, que não fiscaliza e, ainda mais, não fiscaliza porque é corrupto.É o capitalismo sem risco, de pai para filho. E a população cai nessa conversa mole.

    A verdade é que a exigência da população cresceu muito. Para qualquer problema da família relativo à saúde, seja um resfriado, unha encravada ou até bicho-de-pé, a minha secretária, por exemplo, recorre ao Sistema Público de Saúde. A irmã dela adolescente, engravidou (foi acompanhada durante o pré-natal) e pariu em uma maternidade pública. A ambulância que a transportou, no dia do parto, não permitiu que a mãe a acompanhasse. Pois, esta foi a grave reclamação que a família fez ao Sistema Público de Saúde. Tenha paciência ! A moça pariu, parto normal, tudo certinho e o enfermeiro da ambulância levou uma tremenda bronca, porque cumpriu corretamente as normas.

    Para terminar: se a saúde pública é tão ruim no país, como é que a taxa de mortalidade infantil caiu drasticamente nos últimos dez anos, como é que a expectativa média de vida da população masculina que era de 53 anos, nas décadas de 50/60, subiu para 73 anos atualmente, ou seja, 20 anos, em 50 anos ? Que mistério será este ?

  • Jorge Vieira

    Caro Edson: Concordo contigo. Temos que trazer o atendimento à população para uma qualidade próxima à da Finlândia, Noruega, Holanda, Dinamarca, etc.
    Agora, relaxa e leia o que escrevi em resposta ao Arthur Dias, logo acima do teu comentário. Não precisa concordar com tudo.
    Deita numa rede, toma um uísque ou uma cervejinha, examina dados confiáveis sobre a situação nacional, econômicos e sociais, faz o mesmo em relação aos EUA, Europa e Oriente Médio, Japão, que está estagnado há 20 anos, e responde ao seguinte: houve ou não uma boa evolução, nos últimos 10/20 anos, na situação econômico- social do país ?
    Se a resposta é não, apresente seus argumentos. Quero ouví-los (lê-los) todos, como disse a Presidenta Dilma Roussef.

  • Jorge Vieira

    Caro Felipe: quer dizer que quando o atendimento é bom, o mérito é só dos profissionais que se doam ao máximo, mesmo com os “péssimos salários que recebem”, e a gestão dos governos municipais, estaduais e federal só fazem atrapalhar ?
    Que tal privatizar esses hospitais e deixar que a iniciativa privada cobre o preço que quiserem pelo ultrassom, como fazem os empresários de ônibus que cobram o olho da cara pela tarifa de transporte ?
    Haddad permitiu um reajuste da tarifa bem menor do que a taxa de inflação do período (2 anos). Cumpriu o que prometeu na campanha e, agora, 40% da população está julgando o seu governo como ruim ou péssimo. Que diabos de coerência é esta ?
    Ah ! Mas os impostos estão altos e os serviços públicos são de péssima qualidade. Balela. Ambas as afirmações são uma meia verdade ou uma meia mentira.
    Sabe o que vai acontecer quando colocarem um neoliberal na Presidência da República em 2015 ? Vão privatizar tudo. Só não vai ser preciso privatizar o Judiciário. Já está.

    Sabe ? Eu estou quase torcendo para que isto aconteça, para a população perceber o que é bom p’ra tosse. E não vai ter Dilma Roussef p’ra dizer: “As manifestações são bem vindas. Vocês podem reclamar de tudo. Eu quero ouvir todos vocês”.
    O chicote vai descer no lombo de cada manifestante e não vai ser com bala de borracha, não.
    Preparem-se. Se JB assumir a Presidência, o pau vai comer ao primeiro sinal de descontentamento. O homem não aceita qualquer contestação à sua autoridade. Negociação p’ra ele é falta de respeito. O sujeito é procurador e Presidente do STF: o respeito é bom e eu gosto. E tem mais: vocês são culpados até provarem sua inocência. E ainda: abaixo a PEC 37: quem esses delegados de polícia pensam que são para quererem se equiparar a um doutor procurador da república ?
    Aqui, na minha cidade, um procurador exigiu que o porteiro o chamasse de doutor. O porteiro perguntou se o procurador era médico. Foi processado. Ainda bem que o juiz teve bom senso e mandou arquivar o processo.

  • Jorge Vieira

    Meu caro: Você tem razão em quase tudo aí, mas estou sem tempo para continuar a debater. Nos veremos em outros fóruns. Também, um abraço para você e a família que eu sinto que são pessoas do bem.

Posts relacionados