Acredite se quiser: MEC de Bolsonaro diz que professores, alunos e pais não podem divulgar protestos

Publicado em 30 maio, 2019 8:09 pm
O ministro da Educação, Abraham Weintraub, em vídeo divulgado por ele nesta quinta-feira (30) – Reprodução/Twitter/@AbrahamWeint

Reportagem de Natália Cancian na Folha de S.Paulo informa que o Ministério da Educação divulgou uma nota na tarde desta quinta-feira (30) em que afirma que professores, servidores, funcionários, alunos e até mesmo pais e responsáveis “não são autorizados a divulgar e estimular protestos durante o horário escolar”. Em seguida, orienta que sejam feitas denúncias por meio do site ouvidoria do MEC.

De acordo com a publicação, a medida representa mais uma ofensiva da pasta em meio a um novo dia de manifestações pelo país contra o bloqueio de verbas do setor. O primeiro dia de protestos ocorreu em 15 de maio. Na nota, a pasta justifica a medida dizendo que “nenhuma instituição de ensino pública tem prerrogativa legal para incentivar movimentos políticos partidários e promover a participação de alunos em manifestações”.

Questionado pela Folha a respeito do amparo legal das medidas e sobre o que levou a pasta a citar que até mesmo pais não estão autorizados a divulgar os protestos, o ministério ainda não respondeu. Além de vetar a divulgação das manifestações em horário escolar, o ministério também diz em nota que servidores públicos que participarem dos eventos podem ter o ponto cortado, completa a Folha.