Bolsonaro desiste de se filiar ao Patriotas e enquadra o filho Flávio

Publicado em 5 janeiro, 2018 8:33 am

Do Valor:

Segundo colocado nas pesquisas para a eleição à Presidência da República, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) não irá mais para o Partido Ecológico Nacional (PEN), que passaria a se chamar Patriota com a candidatura do parlamentar ao Planalto. De acordo com fonte próxima a Bolsonaro, ele “já está fora” do projeto presidencial pelo PEN/Patriota por desentendimento com o presidente da legenda, Adilson Barroso, e até mesmo aliados que o estariam traindo.

Bolsonaro já procura uma nova sigla para concorrer. Foi sondado por Levy Fidelix, presidente do PRTB, teve conversa com o PR e com o PSL/Livres, numa corrida contra o tempo para se filiar a uma legenda até o prazo limite, em abril. No PSC, o deputado não tem espaço porque também brigou com o presidente da sigla, o pastor Everaldo Dias, que tem planos de lançar o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Rabello de Castro, ao Planalto.

Bolsonaro, segundo apurou o Valor, queria o controle da comissão executiva nacional, cujos principais cargos são ocupados por Barroso, sua família (mulher, irmão e filho) e aliados do município paulista de Barrinha, onde o presidente do PEN já foi vereador e vice-prefeito. Dos 19 integrantes da Executiva Nacional, Bolsonaro tinha apenas cinco indicados. Mesmo assim, entre alguns destes aliados, mais ligados a seu filho, o deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSC-RJ), o deputado teria passado a não ter mais confiança.

Nos Estados em que Adilson Barroso havia cedido a direção partidária para Jair Bolsonaro, o grupo teria tomado conta das decisões, destituído comissões provisórias, sem prestar satisfações ao pré-candidato. Segundo fonte muito próxima a Bolsonaro, o deputado teve que enquadrar o próprio filho, que estava sendo supostamente “iludido” e “estava completamente do lado dos caras”: “O pai deu uma cartada final”. Outro filho do parlamentar, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), é quem teria “descoberto tudo”.

(…)