Casais gays são atacados após beijo em formatura da Polícia Militar no DF

Publicado em 14 janeiro, 2020 1:55 pm
Reprodução: Instagram

Do UOL:

O Ministério Público do Distrito Federal investiga o crime de homobofia após policiais gays publicarem fotos nas redes sociais, dando um selinho, durante a formatura de novos soldados da Polícia Militar, no sábado (11). As vítimas dos ataques, dois casais homoafetivos, foram alvos de comentários preconceituosos, inclusive de membros da corporação.

Em um áudio enviado em grupos de colegas da Polícia Militar, um tenente coronel identificado como Ivon Correia critica os colegas e afirma que na corporação deve-se “sempre preservar a honra e o pudor do policial militar”. “Então é isso que foi quebrado ali. Aquela avacalhação ali, aquela frescura ali poderia ser evitada. É lamentável a gente ver que as pessoas, nesse caso específico, pessoas cultas que deveriam saber como se portar, poderiam continuar com a vida deles, ser felizes, mas sem afrontar a nossa corporação.

Se vocês chegarem em qualquer uma das três forças armadas, existe essa figura: o homossexualismo. Mas eu nunca vi um piloto de caça gay. Ou melhor, que se exponha como gay. Gay ele pode ser o tanto que ele quiser, mas que se exponha enquanto fardado.

Eu jamais vi um comandante de marinha fazendo essa frescura toda que está aparecendo aí. Nunca vi no exército, brigada paraquedista, comandos e por aí vai, alguém se expondo dessa maneira”, disse o tenente. A Comissão de Direitos Humanos da Câmara Legislativa do Distrito Federal também pediu à PM que investigue os comentários. O presidente, o deputado distrital Fábio Felix (PSol), defendeu os militares.

(…)

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!