“Com Bolsonaro, não dá para melhorar”, diz Zezé Motta sobre racismo no Brasil

Publicado em 20 novembro, 2020 9:55 am

Da coluna de Ancelmo Gois

Zezé Motta

Para celebrar o Dia da Consciência Negra, a coluna escolheu uma querida que, aos 76 anos, vivencia a questão racial há mais de sete décadas. Estamos falando da atriz Zezé Motta, a nossa eterna “Xica da Silva”, do filme de Cacá Diegues, de 1976, e que está em duas séries da TV Globo.

Para ela, a questão racial continua na ordem do dia. “Esta semana, eu vi no ‘Jornal Nacional’ que, diariamente, dois negros sofrem discriminação racial de alguma forma, sempre violenta, com palavras ou atitudes”. “Aliás”, prossegue, “com Bolsonaro, não dá para melhorar, porque não contamos com o governo para lutar por essa causa”, diz, com razão.

Já no campo das artes, a também cantora (acaba de estrear o show “Zezé canta Caetano”) enxerga avanços. “Sou do tempo em que, nas novelas, havia apenas dois ou três atores negros, que faziam sempre papéis subalternos. O problema não era interpretar empregados, mas é que esses personagens viviam a reboque”. (…)

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!