Cortes de justiça e Ministério Público ficam perplexos com defesa de Bolsonaro por Moro em esquema de laranjas do PSL

Publicado em 7 outubro, 2019 5:15 am

Do Painel, na Folha de S. Paulo

(…)

Para além do impacto da revelação, na Folha, de que a apuração sobre candidaturas laranjas no PSL de Minas levou a menções à campanha de Jair Bolsonaro, foi a reação de Sergio Moro (Justiça) à notícia o que mais surpreendeu membros do Judiciário e do Ministério Público. O ex-juiz saiu em defesa do presidente, e procuradores que atuaram na Lava Jato demonstraram incredulidade. Ministros de cortes superiores, alarde: o chefe da PF mostrou parcialidade, disse um integrante do STJ.

Álibi Moro escreveu nas redes sociais que “nem a PF e nem o Ministério Público, que atuam com independência, viram algo contra o presidente nesse inquérito”. Ocorre que o caso está sob sigilo e o ministro não deveria ter informações privilegiadas. Um procurador disse que “realmente não entende a estratégia dele”.

De boas intenções… O mesmo procurador, que atuou na Lava Jato, diz que o ex-juiz recebeu “o anel da política quando deixou a magistratura com uma missão clara —e acho que sincera”, mas que pode ter se perdido por excesso de credulidade. “O próprio presidente, em um de seus arroubos, disse que ele era ‘ingênuo’”, concluiu.

(…)