Não é notícia velha: gás, gasolina e diesel vão aumentar de novo

Gás de cozinha, diesel e a gasolina vão aumentar de novo

A Agência Nacional do Petróleo informou que vai ter novo aumento nos preços da gasolina, o diesel e o gás de botijão. Parece notícia velha, mas não é. Os reajustes acontecerão na semana que vem.

De acordo com a agência, o preço médio do litro de gasolina cresceu 0,61% nos últimos 15 dias. Isso significa que valor saiu de R$ 6,321 e passou para R$ 6,36. No acumulado dos últimos 12 meses, o aumento está perto dos 42%. No Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro os preços estão em R$ 7,469 e R$ 7,399, respectivamente.

O diesel também está muito caro. Antes estava R$ 4,976 e agora chegou em R$ 4,983. Isso representa um acumulado anual de 38,18% na bomba. O gás de 13 quilos chegou a R$ 101,96. Crescimento de 1,51% na comparação com semana passada, quando batia em R$ 100,44.

No Mato Grosso, Rio Grande do Sul e Rondônia, o gás de cozinha já está batendo na casa dos R$ 135. Desde que Dilma Rousseff sofreu um golpe, a situação do brasileiro tem piorado.

Leia mais:

1 – Após discurso de Guedes, Lira pede união entre Poderes e se diz comprometido com “solidez fiscal do país”

2 – Demissões e falta de segurança: como era o set de filmagem antes de Alec Baldwin matar uma diretora

3 – Após pressão de Crivella, Bolsonaro liga para presidente da África do Sul

Bolsonaro havia avisado que gás, gasolina e diesel iriam subir

Na quinta (21), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou que o Brasil “está na iminência de um novo reajuste de combustível”. O mandatário admitiu em sua live semanal que gasolina e diesel “estão caros”, mas que vem mais por aí.

“Deve ter outro aumento de combustível? Deve ter outro aumento de combustível. Não precisa ser mágico para descobrir isso aí, é só ver o preço do petróleo lá fora e quanto está o dólar aqui dentro”, disse ele.

“Nós ainda dependemos da importação de diesel, de parte da gasolina também. E se não reajustar, falta. A inflação é horrível? É péssima, mas pior ainda é o desabastecimento”, completou Bolsonaro.

Naian Lopes:
Related Post
Disqus Comments Loading...