O que um médico pode aprender com Sergio Moro? Por Moisés Mendes

Originalmente publicado em BLOG DO MOISÉS MENDES

Por Moisés Mendes

Sergio Moro esteve esta semana em Porto Alegre para uma palestra na Unimed. O que os médicos podem aprender com Sergio Moro?

Aprenderão a agir como a Lava-Jato? A fazer diagnósticos sem indícios e sem provas? A operar sem exames, mas apenas por convicção? A conduzir o doente coercitivamente para o hospital?

O que Sergio Moro tem a ensinar a médicos depois de ter participado do governo de Bolsonaro, misturado a grupos anticiência que receitam cloroquina contra a Covid-19?

O que Moro aprendeu sobre ética e verdade com os filhos e os amigos de Bolsonaro, que possa servir de exemplo a quem lida com a saúde dos outros, quando o próprio Bolsonaro é o líder dos negacionistas da pandemia?

Que lições pode dar o ex-juiz que encarcerou Lula antes da eleição, aderiu a um governo de extrema direita, com uma família ligada a milicianos, e depois foi mandado embora por não assumir todas as missões que recebeu?

A palestra fez parte de uma série de conversas que Moro terá pelo Brasil sobre compliance (veja a palavra na foto).

É a expressão da moda. Vale a pena repetir que compliance é buscar cumprir normas, regulamentos e leis. Serve para qualquer atividade, principalmente nas corporações.

É introjetar na cultura da empresa, no caso, uma cooperativa de médicos, a dedicação à correção, ao que é ético, para evitar erros, desvios e corrupção.

É razoável, depois de tudo que Moro fez nos últimos, que se pergunte: que lições de prevenção e de boas maneiras um médico sério e dedicado aos seus pacientes pode receber de Sergio Moro?

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!