Tevê, jornal, revista e rádio despertam cada vez menos interesse no público — e nos anunciantes

A agonia da mídia tradicional