Marchezan pede Exército em Porto Alegre para reprimir manifestação democrática

Postado em 3 de janeiro de 2018 às 11:23 pm
Nélson Marchezan

O prefeito de Porto Alegre, Marchezan Júnior, pediu a Michel Temer que envie a Força Nacional e o Exército para Porto Alegre no dia 24 de janeiro. É um ato de pura provocação. O prefeito diz que existe ameaça de “desobediência civil e luta propugnadas nas redes sociais por alguns políticos, inclusive Senadores da República”.

O jornalista de extrema direita Políbio Braga divulgou o ofício (abaixo) enviado por Marchezan e registrou que é preciso “conter os atos de violência e desordem prometidos por aparelhos do lulopetismo, como CUT, MST e MTST, dia 24”.

Não existe nenhuma promessa de atos de violência. É cascata, produto da cabeça de alguém que quer, como se dizia no passado, pescar em água turva. É terrorismo de direita. O cidadão ainda diz:

“Os órgãos de segurança possuem informações de que são preparados atos de desobediência civil e até mesmo de ataques ao próprio TRF-4, visando pressionar os juízes a absolver Lula ou impedir o julgamento. Muitas das ameaças e informações sobre a organização de atos de violência são disponibilizados diariamente nas redes sociais.

Onde?

Mentira.

Diz o suposto jornalista:

Os governos estadual e federal, incluindo Brigada, Polícia Civil, TRF-4, Marinha, Aeronáutica, Exército, Abin e MPF, reúnem-se na secretaria da Segurança Pública para coordenar as ações de manutenção da lei e da ordem pública, o que inclui o uso da força armada.

Quando?

Onde?

É fake news, mas leitores desse tipo de profissional acreditam em qualquer coisa.

 

x