Oposição apressa impeachment porque saída de Dilma “esfriaria Lava Jato”

Postado em 14 de março de 2016 às 1:29 pm

De Mônica Bergamo, na Folha:

O impeachment volta a ser, para parte da oposição e seus aliados, o caminho tido como o mais viável para a tentativa, considerada urgente, de afastar Dilma Rousseff do poder. Ainda que Lula integre seu ministério.

RITO
O processo no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), mesmo impulsionado por delações eventualmente bombásticas de empreiteiras sobre a campanha de Dilma Rousseff e de Michel Temer de 2014, é considerado lento demais.

SALVE-SE…
E PMDB e o PSDB têm pressa na solução da crise: são cada vez mais frequentes informações que dão conta de que vários de seus principais líderes podem ser atingidos em cheio por delações premiadas. Já foram citados em algumas delas, entre outros, o próprio Temer, o tucano Aécio Neves e Renan Calheiros, presidente do Senado, que responde a inquérito.

…QUEM PUDER
Calheiros disse, em reunião recente, que é generalizada a sensação, entre os políticos, de que qualquer um deles pode ser preso a qualquer momento.

BALDE
A saída de Dilma, no mesmo raciocínio, teria o condão de “esfriar” as investigações da Lava Jato. Há uma crença de que parte da imprensa retiraria o combustível que respaldaria hoje praticamente todas as ações de investigadores e do juiz Sergio Moro.

PESO
“Aliviaria, baixaria a pressão”, disse à coluna magistrado de Brasília com bom trânsito entre os colegas. As cortes superiores têm endossado hoje quase todas as decisões de Moro.

Clique aqui e veja as 10 noticias que você precisa ler agora