Ministro Marco Aurélio Mello, do STF, comenta a arbitrariedade da condução coercitiva de Lula