O que significa Caiado por diretas em 2017? Por Fernando Brito

Pelos poderes de Gayskull
Pelos poderes de Gayskull

Publicado no Tijolaço.

 

O que significa a proposta lançada hoje por Ronaldo Caiado, em entrevista ao Estadão, de convocar antecipadamente eleições gerais para 2017?

Pulemos,claro, pela origem, qualquer arroubo democrático partido do ex-líder da UDR.

É, antes de tudo, a reação à cada vez mais evidente absorção do Governo Michel Temer – que se acentua à medida em que seu esquema próprio de articuladores vai se dissolvendo pelas falcatruas – pelo PSDB.

Que, aliás, cria rachaduras até no próprio tucanato, como se vê na reação de Geraldo Alckmin, jogado fora do ninho pela aliança FHC-Aécio-Serra-Temer.

É, também, como se lê nas suas declarações, um sinal da perda de esperanças em que este Governo vá conseguir algum sucesso do enfrentamento da crise econômica:

É preciso antecipar o processo eleitoral. Não adianta apenas conter gastos. Não sou contra o presidente, mas é hora de pensarmos em alguém que, ganhando as eleições, promova melhorias. Não adianta repetir erros do governo cassado de Dilma Rousseff.

Caiado reconhece a falta de legitimidade e de respeitabilidade do governo e do parlamento:

(…)diante de uma crise concreta, onde falta apoio popular, não dá para querer insistir com a continuidade do governo.(…) O poder está nocauteado com tantas denúncias e escândalos. Não há democracia que sobreviva a políticos sem espírito público.

O movimento de Caiado pode indicar o início de uma costura que o leve a compor chapa com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

Fecha a porteira para Aécio em São Paulo e se expande para as zonas de influência do agronegócio: os dois Mato Grosso, Goiás, Paraná e Oeste de Minas, bom boas beliscadas onde houver economia agrícola de grande escala.

Quando a eleição começa a ganhar a rua, os candidatos começam a se mostrar.