Quem é o ‘jornalista chic’ que Chico vai processar por calúnia. Por Paulo Nogueira

O "jornalista" João Pedrosa
O “jornalista” João Pedrosa

Chico Buarque tomou uma grande decisão: processar quem o insulta na internet.

O primeiro da fila é o “jornalista” João Pedrosa, que chamou Chico e família de ladrões num comentário no Instagram.

Coloquei aspas em jornalista porque não se conhece nada de relevante, ou mesmo irrelevante, que Pedrosa tenha publicado na imprensa.

Uma visita a seu Facebook revela um revoltado online e um esnobe da “alta” sociedade.

Em 2014, depois de uma decisão do STF e pouco antes da Copa, ele publicou por exemplo o seguinte texto:

“”STF decide que não houve quadrilha”. Então tá! LULADRÃO não era o chefe do mensalão, mas DILMERDA ainda é a PRESIDANTA. BLACK BLOC neles! Se nem de cadeia os políticos tem mais medo, deveriam temer a morte. O BRASIL PRECISA DE TERRORISMO! Agora juiz ladrão não é só no futebol, mas no supremo também. NÃO VAI TER COPA !!!!!!!!!!!”

Pouco tempo depois, prosseguiu:

O Supremo Tribunal Federal é uma quadrilha! O dinheiro roubado do PT não só pagou as multas como comprou os juízes ! O chefe Luladrão escapou, e agora a quadrilha também. BLACK BLOC neles ! NÃO VAI TER COPA! O Brasil chegou num ponto que a violência se justifica. Essa decisão foi feita na véspera do carnaval para enganar (de novo!) o país. A última solução é o terrorismo, ou então, vudu. País de merda!

Parêntese: um amigo de Pedrosa, o jornalista Mario Mendes, comentou neste post: “Gosto de vudu. Pratico.”

Percebe-se, aí, um doente, um psicopata, um desequilibrado que se julga no direito, publicamente, de pregar terrorismo, dizer que o STF foi comprado e chamar Lula de Luladrão e Dilma de Dilmerda.

Fora isso, decreta que o Brasil é um país de merda.

Ora, ora, ora.

Talvez aqui, no último ponto, ele tenha um laivo de razão, porque merece críticas um país que deixa alguém como Pedrosa fazer impunemente acusações tão graves.

É por isso que Chico deve receber palmas, e de pé.

Desequilibrado em ação
Desequilibrado em ação

Chico decidiu processá-lo. E disse que daqui por diante fará o mesmo com outros.

Na prática, Chico está agindo como recomendou, celebremente, o jurista alemão do passado Rudolph von Ihering.

Ihering defendeu a tese de que um injustiçado tinha o dever de procurar a Justiça em nome não apenas dele, mas da sociedade.

Quem não faz isso age como um verme e não tem do que se queixar das calúnias, escreveu Ihering.

A Justiça se aprimora quando os injustiçados reclamam reparação, e toda a sociedade se beneficia disso. Era a grande e inovadora tese de Ihering.

Lula, recentemente, passou a fazer o que o jurista alemão prescrevia. Está processando publicações e jornalistas que o caluniam.

Você pode argumentar que a Justiça brasileira é leniente para esse tipo de coisa – destruir reputações de pessoas de esquerda, como Lula e Chico.

Mas você faz caluniadores pensarem duas ou três vezes antes de atacar sem provas alguém caso eles passem a ser processados.

Eles têm que procurar advogado, pagar por seus serviços, comparecer a tribunais e correm o risco, além do mais, de pagar dinheiro de indenização.

É claramente mais fácil caluniar quando o caluniado não se movimenta.

Chico está dando um passo importante para toda a sociedade ao processar o alegado “jornalista” e real caluniador João Pedrosa.

Que seu exemplo inspire outras pessoas, e assim o Brasil será um país melhor.