11 de Setembro: Uma hora, 41 minutos e 42 segundos que mudaram o mundo.

Originalmente publicado por CORREIO DA MANHÃ

Por Catarina Cruz, Daniela Vilar Santos e Mariana Margarido

7:59 = O voo 11 da American Airlines parte do aeroporto internacional de Boston, no estado do Massachusetts, com destino a Los Angeles, na Califórnia, com 14 minutos de atraso. A bordo do Boeing 767 estão 76 passageiros, 11 membros da tripulação e cinco terroristas. Mohamed Atta, apontado como o principal mentor dos ataques, segue no avião com Al Suqami, Alomari e Waleed e Wail Alshehri.

8:14 = O voo 175 da United Airlines parte do aeroporto internacional de Boston, com destino a Los Angeles, com 14 minutos de atraso. No avião seguem 51 passageiros, nove tripulantes e cinco terroristas. Neste momento, o voo 11 é desviado enquanto sobrevoa a zona central do Massachusetts. Dezasseis segundos após o contacto com a torre de controlo, num procedimento de rotina, os controladores aéreos dão instruções ao piloto para aumentar a altitude, mas já não obtêm qualquer resposta.

8:19 = A bordo do voo 11, a hospedeira Betty Ann Ong telefona para a companhia aérea e alerta que o voo está a ser sequestrado. O telefonema dura cerca de 25 minutos e Betty fornece informação detalhada sobre o que se passa a bordo. Relata que há três pessoas esfaqueadas – um passageiro e dois comissários de bordo – e que os terroristas terão uma bomba. O passageiro é Daniel Lewin, que tinha servido o exército israelita, e que terá sido a primeira vítima mortal dos ataques.

8:20 = O voo 77 da American Airlines parte com 10 minutos de atraso do Aeroporto Internacional Washington Dulles, com destino a Los Angeles. No Boeing 757 seguem 58 passageiros e seis membros da tripulação. A bordo seguem também cinco terroristas. Três deles fizeram disparar o detetor de metais quando passaram pela segurança, mas as autoridades não encontraram nada nas revistas.

 

8:24 = Mohamed Atta, um dos terroristas a bordo do voo 11, tenta falar aos passageiros e tripulação, mas engana-se no botão e comunica duas vezes para a torre de controlo de Boston. Atta diz que têm planos e adverte os passageiros para que estejam quietos. Uma destas comunicações é ouvida pelo piloto do voo 175, que alerta a Administração Federal de Aviação. Minutos mais tarde, este voo também seria sequestrado.

08:42  = O voo 175 é sequestrado quando sobrevoa Nova Jérsia. A esta hora está também a descolar o voo 93 da United Airlines, que parte com atraso do Aeroporto Internacional de Newark, no estado da Nova Jérsia, com destino a São Francisco, na Califórnia. A bordo seguem 33 passageiros e sete elementos da tripulação, assim como quatro terroristas.

 

08:46:40 = O voo 11 embate contra a Torre Norte do World Trade Center, entre os andares 93 e 99. A colisão mata centenas de pessoas, entre as que estão a bordo do Boeing 767 e as que se encontram no edifício. As escadas de emergência ficam danificadas e centenas de pessoas ficam presas acima do 91.º andar. Os serviços de emergência de Nova Iorque enviam para o local bombeiros, polícia e paramédicos.

08:48 – 10:28 = Em pânico, várias pessoas saltam das torres, principalmente da Torre Norte, a primeira a ser atingida. Estima-se que entre 100 a 200 pessoas se tenham lançado dos edifícios, num ato de total desespero.

9:00 = Brian Sweeney, um dos passageiros do voo 175, deixa uma mensagem para a mulher, Julie, no atendedor de chamadas. Brian diz que o avião em que segue foi sequestrado e que ama imenso a mulher. E termina com uma réstia de esperança: “Espero conseguir telefonar-te”.

9:03:11 = O voo 175 embate na Torre Sul do World Trade Center, entre o 77.º e o 85.º andares.

09:29 = O presidente George W. Bush, em visita oficial a uma escola primária na Flórida, é inicialmente informado da colisão de um avião contra a Torre Norte, às 8h50. Bush e os conselheiros admitem tratar-se de um acidente. Quinze minutos depois, Andrew Card, chefe de gabinete de Bush, sussurra-lhe ao ouvido: “Um segundo avião embateu contra a segunda torre. A América está a ser atacada.” Bush prossegue a leitura que estava a fazer aos alunos e quando sai da escola descreve os ataques como uma “tragédia nacional”.

9:29 = O voo 93 é sequestrado quando sobrevoa o norte do estado do Ohio. Os terroristas entram na cabine e, via rádio, é pedido socorro: “Mayday”. Na transmissão ouvem-se sons que indiciam confrontos físicos. Três minutos depois, um dos terroristas dirige-se aos passageiros e avisa que há uma bomba a bordo. Neste momento, os passageiros começam a fazer telefonemas e são informados das colisões contra as torres do World Trade Center.

09:37:46 = O voo 77 choca com a ala oeste do Pentágono, no estado da Virgínia, a cerca de 6 quilómetros da Casa Branca, em Washington. A colisão, à qual se segue um violento incêndio, mata os 58 passageiros e seis membros da tripulação que estavam a bordo e 125 militares e civis que se encontravam em terra.

09:42 = É dada indicação para todos os voos civis aterrarem. O último avião aterra às 12h16 e o espaço aéreo norte-americano é encerrado.

9:47 = A hospedeira de bordo CeeCee Lyles, que segue a bordo do voo 93, telefona ao marido cerca de 18 minutos após o avião ser sequestrado. CeeCee deixa uma mensagem para Lorne no atendedor de chamadas. Diz-lhe que voltaram para trás e que foi informada que dois aviões tinham embatido contra o World Trade Center.

9:59 = A Torre Sul do World Trade Center desaba, 56 minutos após ter sido atingida pelo Boeing 767 do voo 175. O edifício de 110 andares desmorona-se em 10 segundos, matando mais de 800 pessoas, entre civis e operacionais dos serviços de emergência que se encontravam dentro do edifício e nas suas imediações.

10:03 = O voo 93 é derrubado pelos terroristas, na sequência de uma luta na cabine, e despenha-se perto de Shanksville, na Pensilvânia. Os passageiros terão sabido dos ataques ao World Trade Center e ao Pentágono e terão entrado na cabine para fazer frente aos terroristas. A Comissão do 11 de Setembro acredita que o alvo do voo 93 seria o Capitólio ou a Casa Branca, ambos em Washington.

10:28:22 = Colapsa a Torre Norte do World Trade Center, 1h42 minutos depois de ter sido atingida pelo avião do voo 11. O ataque à Torre Norte matou mais de 1600 pessoas.

20:30 = O presidente George W. Bush fala ao país a partir da Casa Branca. No discurso, que tem pouco mais de quatro minutos, Bush fala de ataques perpetrados para intimidar a nação americana, que “falharam” porque a América é um país forte. O presidente sublinha que estão empenhados todos os meios para encontrar os terroristas e termina citando o Salmo 23: “Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque Tu estás comigo.”

AS VÍTIMAS PORTUGUESAS

O maior atentado da História roubou a vida a cinco portugueses. António Rocha, António Rodrigues, Carlos da Costa, João Aguiar e Manuel Mota perderam a vida a 11 de setembro de 2001. Conheça as vítimas:

– António Augusto Tomé Rocha: tinha 34 anos e trabalhava nas Torres Gémeas;

– António José Carrusca Rodrigues: tinha 36 anos e trabalhava na Autoridade Marítima. Morreu depois de ir a correr para o World Trade Center, quando soube dos ataques, para ajudar;

– Carlos da Costa: engenheiro eletrónico na Autoridade Marítima, de 41 anos, morreu enquanto tentava ajudar outras pessoas a fugir das Torres Gémeas;

– João Alberto da Fonseca Aguiar: tinha 30 anos e foi promovido, duas semanas antes do atentado, a vice-presidente da empresa de corretagem e gestão de património onde trabalhava, na torre sul;

– Manuel John da Mota: foi até ao World Trade Center para uma reunião de trabalho. Dois minutos depois de chegar ao local o primeiro avião chocou com a torre.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!