172,2 bilhões de prejuízo e 4,4 milhões de empregos jogados fora: Quem vai pagar pelo caos imposto ao país pela Lava Jato?

Procuradores da Operação Lava Jato: uma gang de caçadores (crédito: divulgação)

São muitos os atores que contribuíram com a farsa, e aí cabe um capítulo à parte para falar sobre a atuação da velha imprensa, mas o fato é que, com o conluio entre o ex-juiz Sergio Moro e procuradores, a Lava Jato solapou a democracia e arruinou a economia ao criminalizar a política para tirar Lula e o PT do jogo eleitoral.

Junto com a tragédia à democracia, veio o maior prejuízo da história econômica do país. Um rastro de destruição que dificilmente será  recuperado.

Segundo levantamento feito pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), divulgado nesta terça pelo portal Sputnik Brasil, a operação fez o país perder R$ 172,2 bilhões nesse período. Nada menos que 4,4 milhões de empregos foram jogados na lata do lixo.

O estudo diz ainda que o Brasil deixou de arrecadar 40 vezes mais do que o valor recuperado com a operação (R$ 4,3 bilhões).

Para Clarisse Gurgel, professora da Unirio (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro), o relatório apenas confirma agora o que já era percebido no dia a dia da população brasileira. A cientista política diz que o levantamento “consegue traduzir por números fenômenos que têm sido cada vez mais cotidianos”.

“Algo que já tinha se experimentado no dia a dia da população brasileira, mas que agora se confirma em dados e números mais precisos, que é um contexto de absoluto abandono de um país que foi devastado, seja no que diz respeito a sua natureza, ao seu desenvolvimento, a sua independência, seja no que diz respeito as suas liberdades, a sua participação popular, a sua democracia e as suas instituições republicanas”, disse Gurgel.

Empregos destruídos

O estudo do Dieese também indica que o país deixou de arrecadar R$ 47,4 bilhões em impostos. Dessa quantia, R$ 20,3 bilhões seriam em contribuições sobre a folha de salários.

Segundo o levantamento, as consequências da operação Lava Jato provocaram o fechamento de 4,4 milhões de empregos. O setor mais afetado foi o da construção civil, que perdeu 1,1 milhão de postos de trabalho no país.

Para Gurgel, empreiteiras “foram cirurgicamente perseguidas pela Lava Jato”, que, segundo ela, teve como resultado nefasto a perda de investimentos que essas empresas e a Petrobras geravam. Além disso, Gurgel ressalta que esses empregos produziam “consumo e tributos”.

“Tudo aquilo que o governo Lula e o governo Dilma produziram de perspectiva de autonomia na geração de empregos e mercado, ruiu a partir do governo Temer e Bolsonaro”, disse a professora.

Nesta segunda-feira (8) a Lava Jato sofreu um duro golpe, com a anulação de duas condenações e dois processos contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que o ex-juiz Sergio Moro, que foi titular da 13ª Vara Federal de Curitiba, não era o “juiz natural” dos casos.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) deve recorrer da decisão.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!