50 anos depois de Lennon mandar a família real balançar as jóias, a rebeldia no rock está morta

Há 50 anos nascia John Lennon.

Calma.

Há 50 anos, os Beatles se apresentaram para a família real britânica num show chamado Royal Variety Performance. Era um evento beneficente que ocorria todo ano.

Havia 19 atracões. Entre elas, Marlene Dietrich e Maurice Chevalier. Os Beatles fizeram o sétimo espetáculo, mas eram os mais aguardados. “She Loves You” e “From me To You” estavam estouradas nas paradas. O segundo disco estava sendo gravado.

A noitada aconteceu no Prince of Wales Theatre. Num camarote, a rainha mãe Elizabeth I, a princesa Margaret e mais alguns aristocratas.

Livres da gritaria das fãs, eles tocaram três canções. Antes da saideira, John Lennon se aproximou do microfone, deu boa noite e falou: “Para nosso último número, eu queria pedir a ajuda de vocês. As pessoas nos assentos baratos podem bater palmas. O resto de vocês pode sacudir as jóias”.

Emendou um sorriso meio matreiro até entrar a contagem de “Twist and Shout”.

Ali nascia um ícone pop corajoso, espirituoso e rebelde. Brian Epstein, o empresário, ficou aliviado por Lennon não dizer “as porras das joias”, como havia prometido. Até então, os Beatles eram apenas quatro rapazes de terninho combinando e cabelos penteados para frente. Viraram, digamos, “heróis da classe operária”.

Lennon deu uma declaração de intenções e uma amostra do que estava por vir. Tinha 23 anos. Eles nunca mais compareceram a esse evento. Em 65, ganharam uma medalha da rainha. Quatro anos mais tarde, depois de devolvê-la, Lennon fez o protagonista de sua música “Mean Mr. Mustard” gritar “alguma coisa obscena” para a rainha (como ele quis fazer naquela apresentação).

Houve um momento em que Lennon e outros roqueiros eram uma maneira de separar o seu mundo do mundo dos seus pais. Isso acabou. Hoje os ídolos são crianças mimadas que precisam fazer alguma coisa estúpida para combater o tédio. A música ficou menos interessante, a maconha foi substituída por Ovomaltine, as joias mudaram de mãos, Lennon foi trocado pelo Google, e os bobos fingem que estão quebrando regras pichando um muro enquanto os seguranças olham em volta. Também lambem marretas. O mundo ficou muito chato. Help.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!