Huck é “pessoa diferenciada, especial” e poderia “tirar o Brasil da polarização irracional”, diz o filho de Míriam Leitão

Huck sai de fininho após derrota de Aécio em 2014

É tudo tão formidavelmente ruim que eu nem sei por onde começar.

Matheus Leitão, filho de Míriam, escreveu na Veja um lamento dedicado a Luciano Huck. A abertura é, desde já, antológica.

“Sabe o que é pior. Eu acreditei de fato que o apresentador Luciano Huck, ao lado da Angélica, podia nos ajudar a tirar desta polarização irracional que tomou o Brasil e os brasileiros de assalto nos últimos anos”, diz Matheus.

O tom intimista é lindo. “Sabe o que é pior” é jornalismo pagode, jornalismo amizade, jornalismo vem cá meu bem que eu não tô legal.

Daí em diante é uma fieira espetacular de clichês e imbecilidades de alguém que perdeu mais que um candidato, mas um irmão, um norte, uma bússola na vida.

“Mas, pela segunda vez, Luciano Huck correu da responsabilidade que a História, às vezes, coloca nas mãos e nos ombros de pessoas especiais, diferenciadas, como ele e sua esposa”, prossegue.

“Muitos, quase eleitores dele, alguns bem jovens, não esquecerão que Huck escolheu o dinheiro, a fama, o domingão do Faustão, ao mais importante: a busca por colocar o seu nome na História como aquele que se esforçou para tirar o país deste mar de desesperança. Lamentavelmente, ele preferiu pensar mais em seus projetos pessoais e colocá-los acima do país”.

No que Huck e a mulher são “especiais” ou “diferenciados”? No fato de serem brancos e ricos, talvez?

Está-se falando de um apresentador de TV vulgar, que faz sucesso há anos com um programa de auditório assistencialista, um playboy milionário, próximo de alguns dos maiores picaretas que já passaram pelo Brasil, como Aécio Neves, Eike Batista e Sérgio Cabral.

Não para Matheus!

No final, o grito de alerta dirigido diretamente ao gigante, ao fenomenal Luciano Huck: “Pare de fazer esse jogo duplo. Uma vez tudo bem. Duas vezes, é demais. Seu caminho é o do entretenimento, não o de mudar verdadeiramente a vida das pessoas, dos brasileiros que tanto almejam por novas propostas, novas ideias, uma renovação na política. Dançou, Huck. Agora seu objetivo será lutar para manter a audiência. Bom trabalho na Globo”.

Matheus Leitão. Mais que um nome, uma lenda. A Bethânia da Veja. Explode, coração.

Calma, Matheus! Huck há de voltar com Angélica para encher o país de pessoas especiais e diferenciadas. O resto a gente enfia numa lata velha e joga no mar.

Deltan Dallagnol com Matheus Leitão, filho de Míriam