A consultora Empiricus vendeu o paraíso com o impeachment e entregou um blog direitista. Por Zambarda

empiricus

 

A Bovespa perdeu R$ 1,8 bilhão somente no mês de maio, puxando seu principal índice de ações, o Ibovespa, para uma queda de 10%. O dólar, no começo de junho, ficou parado entre R$ 3,50 e R$ 3,60. A pontuação da bolsa ficou em 50 mil pontos.

Michel Temer assumiu como presidente interino em 12 de maio, após o Senado afastar Dilma Rousseff em seu processo de impeachment.

A Empiricus, consultoria de investimentos, postou no dia 21 de maio que acredita que a Bovespa chegará a 100 mil pontos graças a Henrique Meirelles na Fazenda e Ilan Goldfajn no Banco Central.

Quem acredito nisso perdeu dinheiro até o momento.

Estamos em junho e a situação não mudou significativamente na economia. E não dá sinais de melhora imediata.

A companhia foi criada em 2009 por Felipe Miranda, Caio Mesquita e Rodolfo Amstalden. Dos três, Miranda ficou mais famoso por gravar vídeos aos interessados em investir no mercado financeiro.

Essa empresa é a mesma que divulgou nas eleições de 2014 um relatório chamado “O Fim do Brasil”.

O documento apontava o dólar acima de R$ 4 caso Dilma fosse reeleita. A moeda americana estava a R$ 2,70 naquela época e a previsão catastrófica se espalhou.

Dois jornalistas que cobrem o mercado financeiro disseram na condição de anonimato que o relatório não tinha novidade nenhuma, exceto por seu tom apocalíptico. “É um documento de previsões antigas que está trabalhado para ser atraente nesse período eleitoral. Outras consultorias apontavam alta do câmbio, mas a Empiricus atribui a culpa da piora dos indicadores somente à possibilidade da Dilma voltar a ser presidente”, afirmaram na época.

Era a imitação de uma peça chamada “End of America” da empresa americana Stansberry Research, de Baltimore (Maryland). Eles afirmavam categoricamente que existiria um aprofundamento da crise financeira de 2008 três anos depois de seu inicio.

Isso levou a Stansberry a entrar na Agora Inc, publicadora de informações do mercado financeiro que comprou metade da Empiricus em 2013.

As previsões deles se confirmaram, com o dólar furando o teto de R$ 4, mas a queda de Dilma Rousseff mostra que os problemas econômicos não foram criados somente pela presidente. Houve um exagero nas previsões catastróficas e, agora, a empresa desenha um cenário muito otimista.

A desculpa hoje é que eles não estão traçando perspectivas diárias da bolsa e sim o cenário daqui a um ano, diferente de quando comemoraram cada queda da Petrobras em 2015. Falam publicamente sobre o assunto no Twitter.

“Lembro-me de um grupo no movimento estudantil radical. Quem era mais cauteloso era visto como ignorante. Demorou mais de 20 anos para surgir um presidente eleito. Ou seja, eles estavam certos, mas erraram em décadas suas análises. Eu acho que o mesmo vale para a Empiricus, que aposta em viradas extremas na economia ignorando o tempo de quem se pretende senhor do presente”, diz o economista Gilson Schwartz, colunista da revista Exame.

Para Schwartz, a situação da Empiricus se compromete mais ao considerar os negócios que ela tem além da consultoria para o mercado financeiro. A empresa criou o site Financista, para cobrir o noticiário econômico, e afirma que adquiriu 50% do site antipetista O Antagonista, dos ex-Vejas Diogo Mainardi e Mario Sabino.

O propósito da compra é vender uma newsletter chamada “Mercado em Cinco Minutos” por um preço mínimo de R$ 23,90 aos leitores do Antagonista.

“Integrar um site que supostamente faz análise econômica com outro que é enviesado politicamente numa tentativa de criar um efeito manada faz mal para as duas plataformas. Não beneficia o leitor ou o investidor”, afirma Gilson Schwartz. Para ele, além do conflito de interesses, falta uma visão real de longo prazo à Empiricus.

Foi desta forma que a Bovespa perdeu quase R$ 2 bilhões. E investidores internacionais que lucraram em maio não voltaram a aplicar na bolsa brasileira por encontrarem outros mercados mais interessantes e menos arriscados do que o Brasil sob Temer.

empiricus alerta

 

De acordo com a Economática, a Petrobras viu seu valor de mercado reduzir em R$ 14,62 bilhões, passando de R$ 153,60 bilhões para R$ 138,87 bi. O Bradesco teve perdas de R$ 11,70 bilhões. Já o Itaú Unibanco teve de R$ 8,86 bi na Bovespa.

Os erros da companhia não vêm de hoje.

No passado, Felipe Miranda e sua empresa deram entrevistas defendendo a compra de ações do megaempresário de Eike Batista. Eles apostaram antes do executivo quebrar e derreter uma fortuna estimada em US$ 36 bilhões, saindo da lista dos mais ricos da revista americana Forbes.

Em outro caso, a Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (Apimec-SP) condenou a Empiricus e suspendeu o registro do analista Marcos Elias em 2012 por um ano, resultando na saída do sócio.

Na época, a Empiricus disse que o balanço do frigorífico Marfrig era inconsistente e pediu a demissão do diretor de Relações com Investidores, Ricardo Florence. Num relatório sobre a empresa, a consultoria chamou o executivo de “enólogo de araque” nos comentários e disse que ele não era confiável.

A associação considerou o ataque ao diretor uma atitude antiética para uma consultoria de investimentos no setor financeiro. Além de Elias, a Apimec condenou os outros sócios Rodolfo Amstalden e Roberto Altenhofen a uma multa de R$ 2040 cada, o que equivale a três taxas de registro para ser analista no mercado, sendo que cada uma vale R$ 680.

A falta de compostura, portanto, não é de hoje.

“Errar em previsões é inevitável. Ninguém imaginou uma recessão tão brutal no Brasil, assim como ninguém se arriscou a dizer que a economia retomaria a partir deste ano. O que muitos não sabem é das previsões que ouvirmos hoje de que haverá melhora em dois trimestres”, completa Gilson Schwartz.

empiricus mercado