A espada pende agora sobre a cabeça de Jorge Seif. Por Moisés Mendes

Atualizado em 22 de maio de 2024 às 6:43
Senador Jorge Seif (PL-SC). Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Duas conclusões imediatas depois da decisão do Tribunal Superior Eleitoral de poupar o mandato de senador de Sergio Moro, com uma goleada de sete votos a zero. Votaram contra a cassação o relator, Floriano de Azevedo, e os ministros André Ramos Tavares, Cármen Lúcia, Kassio Nunes Marques, Raul Araújo, Isabel Gallotti e Alexandre de Moraes.

Eis a primeira conclusão: não foi desta vez que o sistema de Justiça se encorajou a ponto de pegar um manezão do esquema armado desde a Lava-Jato contra as esquerdas e que resultou na cassação de Dilma Rousseff e no encarceramento de Lula. Só tem manezinho condenado.

Segundo: a espada que estava dependurada sobre a cabeça de Moro é transferida para a cabeça do senador de extrema direita Jorge Seif, do PL de Santa Catarina.

Porque seria demais para o TSE cassar dois senadores. Mas será demais se absolver os dois. Será uma demonstração descarada de que o Judiciário se acovardou e teme retaliações do Senado, incluindo o impeachment de Alexandre de Moraes. Mesmo que os dois casos estejam no âmbito da Justiça Eleitoral.

Senador Sergio Moro (União-PR). Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Jorge Seif está em licença médica no Senado, e seu caso, também em recurso no TSE, será julgado depois de nova coleta de provas sobre o uso de aeronaves do véio da Havan na campanha ao Senado em 2022.

Não há data para a retomada do julgamento do recurso, suspenso em abril. O bolsonarista foi absolvido no TRE de Santa Catarina da mesma acusação de abuso de poder econômico, que tem como pivô o empresário milionário.

Seif tem o costume de se descontrolar e chorar. Já pode preparar o próximo choro. No cenário de hoje, seria improvável que viesse a ser poupado. E somente será se o julgamento se arrastar por muito tempo.

Foi o tempo, sempre ele, que favoreceu Sergio Moro e pode favorecer muitos dos acusados de crimes graves até agora impunes. O tempo poderá poupar golpistas, muambeiros e falsificadores de cartões de vacinação. Todos manezões.

E o que será de Sergio Moro a partir de agora? Deve virar um cordeirinho da extrema direita, para não se indispor com ex-colegas da magistratura e para fazer reverências às altas Cortes.

Até porque o ex-juiz ainda será submetido a julgamento no Conselho Nacional de Justiça pelos desmandos cometidos na Lava-Jato. Sergio Moro pode virar um Aécio Neves.

Publicado originalmente no “Blog do Moisés Mendes”

Chegamos ao Blue Sky, clique neste link
Siga nossa nova conta no X, clique neste link
Participe de nosso canal no WhatsApp, clique neste link
Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link