A Lava Jato virou o ‘xerife’ universal. Por Fernando Brito

PUBLICADO NO TIJOLAÇO 

POR FERNANDO BRITO

A prisão do Secretário de Transportes de João Doria, por supostas fraudes na área de Saúde, muito além do “merecimento” de sua detenção, expõe com toda a clareza a deformação a que o “lavajatismo” levou o sistema judicial brasileiro: os juízes da Lava Jato, como este Marcelo Bretas, passaram a ter “jurisdição universal”.

Na TV Globo, hoje de manhã, os apresentadores bradavam: “tem Lava Jato na rua!”. Impressionante como não se diz qual é a conexão que o desvios da saúde, no Rio e até em São Paulo com os casos atribuídos a Bretas na Lava Jato, que passa, automaticamente, a ser o protagonista de todo e qualquer caso de corrupção que provoque repercussão pública.

Não dá para entender a razão disso, mas dá perfeitamente para entender a quem beneficia, com o desgaste de João Doria e uma ressurreição providencial da combalida Lava Jato.

Não é improvável que, por seus antecedentes, o secretário Alexandre Baldy e os demais envolvidos estejam mesmo metidos e maracutaias. Mas não se entende porque a Justiça perdeu, totalmente, a sua característica territorial e, agora, processa os casos aqui ou ali conforme a conveniência política.

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!