A “musa dos protestos” é a única honesta da velha turminha do impeachment. Por Kiko Nogueira

Juliana Isen
Juliana Isen

 

Juliana Isen, a empresária que virou “musa do impeachment” ao tirar a roupa nos protestos da Paulista, é a única golpista honesta do Brasil.

Juliana tem apresentação marcada para dezembro numa casa de strip tease em Goiânia chamada Estância MM, informa o Blog do Marcus Vinícius. Segundo ele, um outdoor anuncia o show na Rua 115, ao lado do diretório do PSDB.

Meses atrás, ela foi capa da revista Sexy. Fez ensaios sensuais para alguns sites. “Ser de direita é não gostar do PT”, declarou numa entrevista.

Faturou e vai continuar faturando em cima de sua participação nas micaretas direitistas. Seu perfil no Twitter a define como “peladona das manifestações”. Ali estão seu telefone e o email do assessor de imprensa.

Além do fato de que Ju Isen tem o direto de fazer o que quiser em Goiás, Copacabana ou Piracicaba, ela nunca enganou ninguém.

Agora veja a hipocrisia do pessoal que apoiou Eduardo Cunha até não caberem mais marcas de batom em sua cueca.

Carlos Sampaio, o deputado federal tucano implacável com as pedalas de Dilma, deu a Cunha “o benefício da dúvida” e disse a ele na CPI da Petrobras, depois de uma longa elegia: “Eu, mais uma vez, enalteço a postura de Vossa Excelência”.

Seu colega Izalci Ferreira (PSDB-DF) afirmou que Cunha saía da audiência “muito maior do que entrou”. O mesmo Sampaio agora fala na defesa “desastrosa” de EC, como se em algum momento tivesse sido diferente.

Aécio Neves, que foi bater palma para Eduardo numa recepção da Força Sindical, de Paulinho da Força, fala que seu partido tomou a decisão “mais adequada” ao pedir o afastamento do presidente da Câmara.

Kim Kataguiri, o líder do MBL, o movimento com mais líderes desde o Rancho da Pamonha, tem a desfaçatez de inventar que nunca foi “aliado de Cunha”. “Nós nunca o defendemos”, afirma.

Aquele abraço coletivo em Cunha na Câmara com o dedo levantado, a decisão de poupa-lo nas ruas, a puxação de saco — nada disso importa mais. São todos virtuosos, éticos, limpos e virgens. O velho Eduardo é o único canalha do pedaço.

Juliana Isen mantém a coerência desde o primeiro adesivo de Fora Dilma que colocou nos seios. Putaria é o que fazem seus ex-companheiros de avenida.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!