A rainha está nua: o fim de Selma Arruda, a “Moro de saias”. Por Romilson Dourado

Publicado no RD News

Senadora Selma Arruda. Foto: Reprodução

Por Romilson Dourado

Selma Arruda, uma juíza aposentada que se notabilizou nacionalmente por decisões duras contra corruptos, deixa a vida pública desmoralizada.

Praticou crimes eleitorais. Mais de 70% dos gastos de campanha (R$ 1,2 milhão) foram por meio de caixa 2 movimentados com 13 pessoas físicas e jurídicas. Abusou-se do poder econômico.

Ela perde a cadeira de senadora com menos de um ano de mandato. Caiu, assim como a máscara, com a mesma velocidade meteórica com que subiu. Uma vergonha nacional.

Confirmando a decisão do Pleno do TRE-MT, que a cassou em abril, o TSE rejeitou, por 6 votos a 1, o recurso e sacramentou a morte política da “Sérgio Moro de saias”. “A rainha está nua!”. Inapelavelmente, despedida diante da comprovação das fraudes eleitorais.

Como pode uma magistrada íntegra e corajosa que acabara de deixar a toga para disputar as eleições e sair das urnas como a mais votada ter recorrido a condutas fraudulentas para conquistar tal triunfo?

Trata-se aqui de uma pessoa conhecedora do direito. Então, cai por terra a tese da ingenuidade, da falta de malícia e da negação às artimanhas políticas.

Tchau, Selma!

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!