A tatuagem macabra de Sergio Moro na ONU. Por Moisés Mendes

Publicado no blog do Moisés Mendes

Bolsonaro elogiou Moro em discurso na ONU

POR MOISÉS MENDES

Parece uma reconciliação, mas talvez não seja assim tão óbvio o elogio de Bolsonaro a Sergio Moro no discurso na ONU.

Bolsonaro pode ter carimbado o ex-juiz numa vitrine mundial. Aha, uhu, o Moro é meu.

O mundo ficou sabendo que o lavajatista bacana que circulava com tucanos cheirosos hoje está alinhado com admiradores de ditadores e torturadores e cúmplices de milicianos e incendiários.

Bolsonaro puxou Moro para o seu lado e o expôs como o justiceiro que faz parte do submundo que o mantém no poder.

O que Bolsonaro disse foi isso: pare de frescura, Sergio Moro, porque eu, Witzel, Araujo, Damares, meus filhos, Queiroz e você somos da mesma turma e temos todos o mesmo caráter.

Moro está exposto para o mundo com a tatuagem macabra do bolsonarismo.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!