O motoqueiro assaltado em SP filmava suas estrepolias no trânsito para depois se gabar na net?

"Moto Filmadores"
“Moto Filmadores”

Todo mundo viu o vídeo do motoqueiro assaltado à mão armada e do ladrão ser baleado por um PM que voltava do trabalho. Mas o que ele fazia com a câmera no capacete e uma moto tão potente? Centenas de vídeos de sucesso podem dar a resposta: para se gabar de pilotar em velocidade perigosa na internet.

Eles saem pelas ruas de São Paulo em motos de altas cilindradas. A preferida deles é a CB 600F Hornet, da Honda, tem 600 cilindradas e, pela tabela da Fipe, custa 35 mil reais. Eles amarram uma pequena câmera de alta qualidade chamada Go Pro no topo do capacete. São os chamados “Moto Filmadores”. É uma tribo. Cada um tem seu perfil no Youtube e muitos se reúnem no facebook para espalhar seus vídeos, com centenas de milhares de acessos.

[youtube height=”360″ width=”640″]http://www.youtube.com/watch?v=WBrHtCuQsCw[/youtube]

O segurança dono da moto, que não se identificou, disse que usava a câmera na cabeça sempre, para filmar possíveis injustiças cometidas contra ele no trânsito e usar as imagens em sua defesa.

Pode ser verdade. Mas há centenas deles, em motos idênticas à do segurança da tentativa de assalto, com suas câmeras no capacete. Muitos, como o usuário Mike9mmm, até filosofam enquanto pilotam por vias como a avenida Paulista muito acima do limite de velocidade, costurando entre os veículos.

Em outro vídeo de sucesso, um homem voa a pelo menos 100 km/h entre faixas em uma Marginal Pinheiros parada, desviando dos carros num ritmo que até a edição e os efeitos especiais dos filmes de Hollywood não conseguem repetir.

[youtube height=”360″ width=”640″]http://www.youtube.com/watch?v=l37qxYcJIRk[/youtube]

Um destes “moto filmadores”, conhecido nas rodas de entusiastas desta modalidade de exibicionismo como Tiozão da Hornet, virou notícia há mais tempo. Kleber Atalla, seu nome real, foi acusado de atropelar e matar um pedestre enquanto dirigia um carro em janeiro deste ano. Ele também era amigo de Chorão, vocalista do Charlie Brown Jr. Foi ele quem encontrou o corpo do ex-roqueiro já sem vida, em seu apartamento blindado. O canal do Tiozão da Hornet no Youtube foi suspenso por violar repetida e severamente as diretrizes do site.

[youtube height=”360″ width=”640″]http://www.youtube.com/watch?v=bgLs_cITQyg&feature=share&list=PLw8B6Y_JzK-p_wy69qdpBAkVd3Hotbotk[/youtube]

Prestem atenção para uma nota quase humorística na reportagem sobre a acusação de homicídio doloso que caiu sobre o Tiozão da Hornet: “O advogado também nega que Kleber faça apologia e afirma que, nos próprios vídeos, o comerciante recomenda que suas práticas não sejam seguidas”.

O dono da Hornet branca que sofreu a tentativa de assalto filmada identificou-se como segurança. Ele ia para o Salão Duas rodas, evento dedicado aos entusiastas por motocicletas e, mais importante, ponto de encontro dos apaixonados por motos muito rápidas.

No vídeo que ele pôs na internet, nos momentos em que está dirigindo até a esquina fatídica, ele comete três infrações de trânsito: ultrapassa dois carros sem dar seta, trafegando pela faixa central; trafega sobre a faixa de sinalização à esquerda por duas vezes e fura o sinal vermelho exatamente no lugar em que foi parado pelos bandidos.

Sobre o que aconteceu depois, não há discussão: ele foi assaltado à mão armada e deu exemplo ao ceder com calma e tranquilidade a chave para que os bandidos levassem sua moto. O bandido que subiria em sua moto aponta a arma para o policial que desce do carro e é baleado. Como disse a Polícia Militar, não há espaço para polêmica.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!