ABSURDO: Record mantém lista negra de jornalistas que não podem integrar seu quadro de funcionários

Do Notícias da TV:

A Record mantém uma espécie de lista negra com nomes de jornalistas que não devem trabalhar em suas emissoras próprias ou afiliadas em todo o país. A maioria são ex-profissionais do grupo que tiveram uma demissão traumática, com processos trabalhistas, ou que são considerados sem o perfil desejado pela empresa.

Demitido em 2012, o repórter Ricardo Vilches teve duas tentivas de contratação pela RIC TV, afiliada do Paraná, vetadas pela cabeça-de-rede em São Paulo. Até que no ano passado mudou o departamento de Jornalismo de Curitiba, e a nova chefia resolveu ignorar o veto da Barra Funda.

Desde abril de 2018, Vilches é um dos principais nomes da RIC TV. Está cobrindo o assassinato do ex-jogador Daniel, uma história mais interessante para a Record do que a Lava Jato. Suas entradas ao vivo no Cidade Alerta do Paraná chegam a dar 17 pontos de média, mas ele não apareceu nem um minuto em rede nacional, fora da cobertura da RIC.

Para driblar o veto ao repórter, profissionais da Record de São Paulo usam recursos mais pobres. Na semana passada, quando a Justiça divulgou o teor de depoimentos de testemunhas do assassinato de Daniel, o Balanço Geral e o Cidade Alerta de São Paulo tiveram que recorrer a apresentador em estúdio em Curitiba, porque o repórter que estava no link ao vivo era Vilches.

Vilches entrou na lista dos jornalistas vetados Record porque processou a Record, depois de uma passagem de cinco anos pelo Jornal da Record, reivindicando 13º, FGTS e férias. A ação acabou em acordo judicial, mas não teve perdão.

Procurada, a disse que “não comenta decisões editoriais, empresariais ou escalas de gravação de empresas parceiras”.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!