“Acorda, irmão”: ao esconder lista de convidados na posse, Bolsonaro é criticado até por aliados. Por Nathália Bignon

Bolsonaro, com um terraplanista e as respectivas esposas: o que ele esconde?

A descoberta de que o Itamaraty decretou sigilo sobre a lista de convidados do coquetel de posse de Jair Bolsonaro, realizado em 1º de janeiro do 2019, gerou mais uma enxurrada de críticas à gestão de Jair Bolsonaro. Nesta quarta-feira (15), parlamentares, jornalistas e eleitores usaram as redes sociais para pressionar o governo e debater as causas da confidencialidade do dado, definida após um cidadão haver solicitado, via lei de acesso à informação, os nomes das pessoas chamadas para o evento.

“Um cidadão requisitou (à Lei de Acesso à Informação, de minha autoria) o nome das pessoas que estavam no coquetel da posse de Bolsonaro. Porém, essa informação foi classificada como sigilosa. Meu mandato irá entrar com um requerimento para saber: Quem Bolsonaro quer esconder?”, anunciou o deputado federal Reginaldo Lopes (PT-MG).

Outro petista a comentar a falta de clareza do atual governo foi o líder do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta (RS). Por meio de uma vídeo divulgado em suas redes, o parlamentar gaúcho lembrou que a lista de convidados sempre foi divulgada pelos últimos presidentes e afirmou que esta é apenas mais uma “das muitas coisas estranhas que esse governo de milicianos faz…”.

“Sigilo da lista de convidados para a festa de posse do Bolsonaro. Tinha conhecido miliciano lá? Quem lá estava que ninguém pode saber? Bolsonaro tem mesmo muitas relações perigosas…”, questionou o vice-líder do PCdoB, deputado federal Márcio Jerry (MA).

Seguidores também não disfarçaram a estranheza do pedido. No Twitter, um perfil chegou a perguntar. “Será que Queiroz tá na lista?”. Outra usuária aproveitou para lembrar a imposição do sigilo sobre os gastos do cartão corporativo da presidência. “Os gastos com cartão corporativo e com o coquetel de posse de Bolsonaro estão sob sigilo, o povo tem direito a ter acesso a essas informações. Quem Bolsonaro faz questão de esconder?”, perguntou.

Outra, mais incisiva, decretou: “Se o dinheiro é nosso, se é cargo público, por que não poderíamos saber? É um absurdo ou corrupção?”. Um apoiador de Bolsonaro chegou a alertá-lo sobre a conduta. “O famoso sigilo de sempre, e nunca muda a velha política, sempre a mesma m*. Jair Bolsonaro, você esta decepcionando seus eleitores irmão, acorda!”, lamentou.

Já o colunista George Marques usou seu perfil para levantar as razões do temor da presidência pela transparência nos gastos públicos. “O que move o governo Bolsonaro a decretar sigilo sobre a lista de convidados um ano após a realização do evento de posse? Alegada segurança presidencial ou teme pelo escrutínio público da presença de algum convidado incômodo?”.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!