Acredite se quiser: após reunião com Putin, Biden critica Rússia por “interferir nas eleições de outros países”

Binde e Putin em cúpula em Genebra

Vladimir Putin e Joe Biden elogiaram-se mutuamente na cimeira desta quarta-feira (16) em Genebra, a primeira reunião entre os dois mandatários.

Ambos deram sinais de que retaliações podem ocorrer caso a relação se deteriore.

Após o encontro, Biden foi questionado sobre as consequências de “mais interferência” nas eleições dos EUA ou ataques à segurança cibernética.

“Ele sabe que haverá consequências”, falou Biden a repórteres. “Ele sabe que eu vou entrar em ação.”

E então foi inacreditavelmente cara de pau:

“Vamos deixar claro: como seria se os Estados Unidos fossem vistos pelo resto do mundo como interferindo nas eleições diretamente de outros países e todos soubessem disso? Como seria se nos engajássemos nas atividades em que ele está envolvido? Isso diminui a posição de um país que está tentando desesperadamente se manter como uma grande potência mundial.”

Abaixo, um mapa dos golpes com envolvimento americano direto — apenas na América Latina e no século passado.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!