Afrânio Silva Jardim: Barroso era advogado libertário, se transformou em juiz punitivista

Barroso, na outra encarnação

Nota do DCM: A carta de Luís Roberto Barroso sobre Cesare Battisti, seu antigo cliente, republicada pelo DCM, levou o jurista Afrânio Silva Jardim à reflexão sobre a conversão (ou seria regressão?) intelectual de quadros brasileiros.

Afrânio, que trabalhou com Barroso na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), destaca que ele era um advogado libertário e se transformou em um juiz punitivista.

Leia o texto que Afrânio publicou em seu facebook:

CESARE BATTISTI POR UM ADVOGADO LIBERTÁRIO, QUE VIROU UM JUIZ PUNITIVISTA.

Ao menos, Battisti sempre foi coerente na sua dramática trajetória de vida. Vai morrer no cárcere italiano, enquanto seu ex-advogado prima por encarcerar os acusados no Brasil, ainda que suas condenações estejam pendentes de recursos defensivos.

Vejam o texto e julguem se é possível acreditar em nosso Poder Judiciário. No senhor Temer, nunca acreditei. Da Direita, sempre esperei truculência, ignorância, insensibilidade, raiva, egoísmo, individualismo e injustiças.

Luís Roberto Barroso foi uma grande decepção para mim …

Ficou muito diferente daquele advogado que Battisti conheceu; ficou muito diferente daquele colega professor que conheci na UERJ; ficou muito diferente daquele Barroso dos livros de Direito Constitucional.

.x.x.x.

Afranio Silva Jardim, professor associado de Direito Processual Penal da Uerj. Mestre e Livre-Docente em Direito Processual pela UERJ.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!