Agora se entende por que não queriam deixar Lula falar. Por Vinícius Segalla

POR VINÍCIUS SEGALLA

Enganou-se quem acreditou que assistiria a um Lula derrotado, sem viço, sem força, sem ser Lula na primeira entrevista desde que foi colocado em Curitiba pelo Poder Judiciário federal no Paraná.

Talvez fosse exatamente isso que temiam aqueles que tanto lutaram, que tão pouco se importaram com o Estado de Direito no Brasil, para manter Lula calado, guardado, vedado enquanto transformavam e transformam o país em uma versão século 21 das repúblicas bananeiras do século 19.

Lula está atento a tudo, tem força para enfrentar tudo, agora se entende o que tanto temem.

Atento ao delírio de Deltan Dallagnol, que sonhou em meter as mãos em R$ 2,5 bilhões de dinheiro público para tocar sua fundação privada.

“Quero desmascarar toda a farsa, agravada pela criação da Fundação Criança Esperança do Dallagnol, com R$ 2,5 bilhões da Petrobras.”

Atento à Polícia Federal, e suas articulações com autoridades estrangeiras:

“Quero provar a farsa montada aqui dentro (na Polícia Federal do Paraná), com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos. Tenho uma obsessão. Provar minha inocência.”

Atento àquela imprensa que comprou e vendeu uma mentira, muitas mentiras, um powerpoint de mentiras:

“Quando vejo essa gente que me condenou na televisão, sabendo que eles são mentirosos, sabendo que eles forjaram uma história, aquela história do powerpoint do Dallagnol,aquilo nem o bisneto dele vai acreditar naquilo. Esse messianismo ignorante, sabe?”

Atento ao presidente da República, Jair Bolsonaro, e a tudo que ele está fazendo com o país.

“O Brasil era referência na América do Sul. Eu sonhava criar um bloco para ter força nas negociações internacionais. O Brasil foi muito importante no G-20. Tudo isso desmanchou, agora o prefeito de Nova York, museu, restaurante, se recusam a receber o presidente do Brasil. A que pontos chegamos? Que avacalhação! O que não pode é esse país estar sendo governado por esse bando de maluco.”

Atento, por fim, ao atual ministro da Justiça, Sergio Moro, e à máscara que ele nunca tira, mas que um dia vai cair:

“Muita gente disse que eu deveria fugir do país, para uma embaixada, mas o meu lugar é aqui no Brasil. Eu tenho tanta obsessão em DESMASCARAR o Moro que eu posso ficar preso cem anos, mas eu não trocarei a minha dignidade pela minha liberdade.”

Luiz Inácio Lula da Silva vai dormir hoje, como de resto tem feito todas as noites, o sono dos justos.

E o senhor, ministro Sergio Moro?

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!