Agressão de deputada bolsonarista a Celso de Mello é inaceitável. Por Kakay

Imagem: reprodução

Chocante o vídeo da deputada Bia Kicis agredindo o Ministro Celso de Mello, decano do Supremo Tribunal Federal.

Uma agressividade e um palavreado que lembram a reunião ministerial do governo Bolsonaro, em 22 de abril.

Baixo nível.

E a deputada é Procuradora aposentada do Distrito Federal.

A presunção é de algum conhecimento jurídico.

Vocifera que pode falar sem travas, nem as travas da civilidade, porque tem imunidade parlamentar.

É óbvio que a imunidade parlamentar não serve a este propósito.

Tenho certeza que a deputada sabe disto, qualquer estudante de Direito sabe.

Respeito a deputada, mas não entendo sua postura. Fica a impressão que o bolsonarismo só consegue se manifestar pela violência, pela provocação, pela agressão.

Estamos em um momento extremamente delicado. A harmonia e o respeito entre os poderes devem ser a tônica. O ataque violento, injusto e vulgar a um Ministro do Supremo certamente não representa a opinião do Congresso Nacional.

Essas provocações irresponsáveis, vindas de movimentos fascistas, que pregam o fechamento do Supremo Tribunal e do Congresso não podem encontrar eco no meio de parlamentares. Cabe ao Congresso fazer um gesto de repulsa a agressão gratuita e deixar óbvio ao Supremo o respeito que o país deposita no Tribunal.

ANTÔNIO CARLOS DE ALMEIDA CASTRO, o Kakay, é advogado criminalista.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!