Alan Turing e o mal que a homofobia fez (e faz) à humanidade. Por Jean Wyllys

PUBLICADO NO FACEBOOK DO AUTOR

No mês do orgulho LGBTQ, o New York Times antecipou-se em um dia e publicou hoje (ontem) um obituário do matemático e cientista da computação Alan Turing.

O jornal tem feito isso com pessoas hoje reconhecidas como relevantes para o processo civilizatório e para o progresso material e moral da humanidade, mas que, na ocasião em que morreram, eram desprezadas, incompreendidas ou difamadas pela maioria das pessoas e instituições.

Em 1952, Turing foi julgado por ser homossexual pelas leis “anti-Sodoma” do Reino Unido que criminalizavam a homossexualidade, e condenado à castração química.

Antes desse julgamento e condenação, Turing, com sua inteligência ímpar, decifrou os códigos de comunicação nazistas, inclusive um para a construção de uma bomba, ajudando o Reino Unido e os EUA a vencerem a Segunda Guerra Mundial; e praticamente criou o ancestral dos computadores que hoje usamos. Nada disso impediu que ele fosse julgado e condenado por sua homosexualidade, e, por um período, apagado da história.

Após a castração química, Turing aparentemente se matou com uma dose de cianureto no dia 07 de junho, algumas semanas antes de seu aniversário.

É uma desgraça que a homofobia tenha feito tanto mal a pessoas tão importantes para o progresso da humanidade e para o processo civilizatório, e siga fazendo mal a gays, lésbicas e pessoas trans; tentando ressuscitar leis que criminalizam a homossexualidade em países onde elas foram derrubadas graças à nossa exaustiva luta política (a homossexualidade segue criminalizada de alguma forma em mais de 60 países, em alguns deles com pena de morte); e que ainda siga também tentando apagar gays e lésbicas da História ou, quando não consegue apagá-los, tente apagar sua orientação sexual das narrativas sobre suas vidas.

Alan Turing presente!

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!