Aloprado da Alesp: assessor de deputado bolsonarista está por trás de ataques contra Doria. Por Charles Nisz

No início de maio, a hashtag #AbreOImpeachmentCaue começou a se destacar nos trending topics do Twitter em São Paulo. A ideia era a de pressionar o presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Cauê Macris (PSDB) a abrir o processo de impeachment contra o governador João Doria (PSDB). 

Com o governo Bolsonaro cada vez mais pressionado, seja pelo Covid-19 ou pelo pífio desempenho econômico, é natural que os apoiadores de Bolsonaro criem mobilizações falsas para desviar a atenção da incompetência do governo federal. 

Levantamento feito pelo usuário @fazamor mostra quem está por trás dessa movimentação online. Um dos tweets sobre a tag é do deputado estadual Gil Diniz (PSL). O parlamentar ganhou notoriedade na rede social de microblog com o apelido de @carteiroreaca.

A primeira menção ao Placar Fora Doria é de um perfil cujas publicações sobre o assunto foram iniciadas em 8 de maio. O perfil @clau0502 fez quase 80 tweets divulgando o site e marcando perfis influentes na direita bolsonarista entre 01:23 da madrugada do dia 08 de maio e 08:27 da manhã daquele mesmo dia.

Outros perfis continuaram a divulgar o assunto – grande parte deles aparenta serem perfis fakes ou robôs. O primeiro usuário influente a divulgar o assunto foi justamente o do deputado estadual Gil Diniz – em 13 de maio.

Para além da estranheza de um deputado supostamente da base aliada – muitos deles se aproveitaram da onda Bolso-Doria em 2018, nenhum site político ou jornalístico falou do Placar Fora Doria ou mesmo aventou um processo de impeachment do governador paulista.

De interface simples, o site mostra a posição de cada deputado sobre o impeachment. Mas não há explicação de como as informações foram apuradas, não há menção aos criadores do site e há uma área de cadastro – talvez para coletar o Whatsapp de mais gente disposta a disseminar esse tipo de informação falsa.

Segundo as informações de domínio, o site foi criado em 24 de abril, em nome de Sueelen Doneda. No Facebook, o perfil com esse nome corresponde ao de uma biomédica de Pirassununga (SP).

Sueelen Doneda é casada com a pessoa cujo email é o contato do site: Raphael Azevedo. Azevedo é assessor parlamentar na Alesp – justamente no gabinete do deputado Gil Diniz.

Entre as fotos postadas no perfil de Azevedo, há uma com o presidente Jair Bolsonaro, outra com o chefe do Gabinete de Segurança Institucional, General Heleno e outra com o deputado federal Eduardo Bolsonaro.

Ainda em 2019, Gil Diniz foi acusado pela Procuradoria de Justiça de São Paulo por ficar com parte do salário dos assessores – prática conhecida como rachadinha, que está no centro das investigações de Flávio Bolsonaro, senador do RJ e filho do presidente.

Já no dia 13 de maio, percebendo as movimentações para investigar quem está por trás da criação do site do Fora Doria, mudaram o nome do titular do site. Quem responde pelo site agora é Aristides Lavandeira Júnior. Sueelen e Raphael também omitiram no perfil do Facebook que são casados.

Uma pesquisa no Facebook mostra o perfil de um Lavandeira Júnior também de Pirassununga – mesma cidade de Sueelen e Raphael. No dia 13 de maio, um dos posts de Lavandeira divulgava justamente o site sobre o impeachment de Doria.

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!