“Amiga, ele não te ama!”: políticos e internautas tiram sarro de Bolsonaro pela fixação em Trump. Por Nathalia Bignon

Os dois e o amor não correspondido

Parlamentares da oposição usaram as redes sociais nesta terça-feira (11) para criticar a reação de Jair Bolsonaro ao anúncio de que o governo americano irá retirar o Brasil da lista de países em desenvolvimento. A medida, que irá impedir que o país tenha tratamento preferencial no comércio exterior, foi anunciada ontem, em tom de alerta, pelo representante do Comércio dos EUA, Robert Lighthizer.

Nesta manhã, sem mencionar diretamente a decisão do governo norte-americano, o presidente brasileiro voltou a exaltar a política de Donald Trump diante de visitantes que o esperavam no Palácio da Alvorada. “O cara diminuiu o desemprego, melhorou a economia, atendeu os latinos que já estão lá”, elogiou o presidente.

“EUA ACIMA DE TUDO. Bolsonaro elogia Trump um dia após Casa Branca retirar Brasil da lista de país em desenvolvimento, o que irá causar prejuízos comerciais ao Brasil. Bolsonaro todo dia se supera em seu vira-latismo”, comentou a deputada federal Érika Kokay (PT-DF), mencionando o título da notícia no comentário.

Já Henrique Fontana e Paulo Pimenta, representantes do PT-RS, atribuíram o anúncio a mais uma gafe do atual Governo. “Trump tira o Brasil da lista de países em desenvolvimento da Organização Mundial do Comércio (OMC) e prejudica exportações brasileiras. Subserviência e fiasco internacional é a marca da política externa desse governo”, lamentou Fontana. “Servir de capacho para Trump rendeu isso… Eis o resultado da política externa conduzida por um presidente inepto e estagiários fanáticos”, apontou Pimenta.

Membros do PCdoB, os deputados Márcio Jerry (MA) e Orlando Silva (SP) também condenaram o comportamento do presidente. “Mais um ato dos EUA contra os interesses do Brasil. Para cada “I love you” do Bolsonaro um ok do Trump”, disse Silva. “Vassalagem (e burrices diplomáticas) de Bolsonaro enfraquece o Brasil”, escreveu Jerry, atual vice-líder do partido.

Na bancada do PSOL, a reação de Bolsonaro foi ridicularizada por parlamentares. “Donald Trump e Pateta Bolsonaro…”, debochou o líder do partido na Câmara, Ivan Valente (SP). “Trump irá restringir benefícios comerciais concedidos às nações dessa categoria e pode dar prejuízo bilionário ao Brasil. Enquanto isso, Bolsonaro faz _lives_mostrando que assiste os discursos de Trump. O Brasil nunca foi tão capacho. Que vergonha!”, escreveu David Miranda (RJ) em seu Twitter.

Internautas também aproveitaram para ironizar a postura do mandatário. ”Amiga, esse homem não te ama! Sai desse relacionamento abusivo!”, zombou um. “Me bate, me joga na parede, me chama de subdesenvolvido. Eu fui um menino mau! Cada um tem o BDSM que merece”, brincou outro, referindo às práticas sexuais que envolvem sadomasoquismo.

Outro recorreu à sociologia para tentar compreender o comportamento presidencial. “Bolsonaro elogiando Trump é a metáfora perfeita da classe média que elogia rico, do funcionário que elogia patrão, do pobre que elogia a direita: tudo para ser aceito pelos de cima, que lucram exatamente ferrando os biscoiteiros”.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!