Analista do TRF-3 é um dos homens que agrediram apoiadora de Lula na Paulista. Por Donato

Jaderson é o que aparece usando óculos, ao centro da imagem (Foto: Jardiel Carvalho)

Oriundo de Nanuque (MG), Jaderson Soares Santana é formado em Direito pela Universidade Estadual de Santa Cruz.

Tem mestrado em Literatura e Crítica Literária pela PUC-SP (onde hoje faz doutorado). Especialista em José Saramago.

É analista judiciário do TRF-3.

No último domingo, Jaderson envolveu-se na agressão cometida contra um casal na avenida Paulista. O casal participava do ato pela liberdade de Lula e Jaderson estava com a turma contrária.

O rapaz foi jogado ao chão e a moça, cercada por três homens, levou uma gravata. A foto estampou a primeira página de diversos jornais no dia de hoje e causou revolta nas redes sociais.

O currículo de Jaderson não induz a classificá-lo como desinformado classe média padrão. Seu perfil no Facebook, entretanto, revela sua face conservadora e liberal.

“Na casa que tem um socialista morando, pode ter certeza tem um capitalista trabalhando para pagar as contas”, postou.

Seguidor de Felipe Moura Brasil, da Jovem Pan, e do MBL, Jaderson compartilha com a hashtag ‘bolsonarotemrazão’ e replica posts que afirmam não ter sido golpe o que houve em 1964.

No último dia 24 de março, fez graça com uma “pré-venda” de camisetas pedindo a liberdade para demais petistas que, segundo ele, irão presos em breve: Fernando Haddad, Gleisi Hoffmann, Lindbergh Farias e Dilma Rousseff.

Com ironia, pergunta onde estão os artistas engajados de discurso esquerdista após condenação de Haddad por fake news.

Curioso esse comportamento de imputar penalidades prévias para os outros quando o seu próprio delito está documentado, gravado, fotografado. Jaderson Santana é mais um exemplo da contradição dos simpatizantes da Nova Era.

Ainda que se mostre tocado pelo massacre em Suzano, compartilhou um post no dia 14 março (da República de Curitiba) fazendo troça com a morte de Marielle Franco.

Um dia antes ele havia partilhado um outro em que zombava das suspeitas sobre o vizinho de Bolsonaro ser um dos acusados do crime.  Quase ao mesmo tempo postou outro com petistas em fotos ao lado de um traficante de modo a comprometê-los.

O homem de camiseta azul é extremamente semelhante ao companheiro de Jaderson, mas não é possível identificar com certeza já que está de lado na foto e o vídeo não possui definição suficiente.

Em 30 de março, Jaderson postou que considera sucesso “ver seus filhos crescerem pessoas boas”. Mas sete dias depois ele protagoniza uma incivilidade dessas.

Quando o tal “cidadão de bem” será coerente em suas atitudes com o “bem”?

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!