Ao dizer que Huck tem espírito público, Armínio Fraga parece fazer propaganda política. Por Pedro Cardoso

Luciano Huck e Pedro Cardoso. Foto: Wikimedia Commons/Reprodução/Instagram

Publicado originalmente no Instagram do autor

POR PEDRO CARDOSO, ator

Bom dia.

Sugiro entrevista com Armínio Fraga, concedida a BBC Brasil mas publicada tb na Folha. Sugiro por ter me chamado atenção a pouca objetividade das respostas. Eu tenho simpatia pelo entrevistado. Não o conheço pessoalmente, nada entendo de economia, pouco posso avaliar a competência dele… Minha simpatia é intuitiva; é simpatia por pessoa que me parece honesta.

Mas a política, e sua escravidão contemporânea a publicidade, é um veneno sutil. Acredito que Arminio tem respostas muito mais objetivas às perguntas q lhe fizeram mas o estar engajado no projeto político de eleger Luciano Hulk pelo PSDB o faz prudente, conveniente, político por mais que ele diga não o ser.

A simpatia q ele afirma por um Estado q combata a desigualdade me pareceu um movimento q visa se apoderar do ideais (e das práticas?) das esquerdas para fins eleitorais. Ao mesmo tempo ele mantem-se um defensor das ideias liberais. É uma proposta de convivência do que haveria de melhor no liberalismo e na agenda social que FHC já manifestou.

Posso dar crédito a sinceridade desse projeto contanto q ele se explicite detalhadamente; o q Armínio não me parece fazer na entrevista. A desigualdade só será combatida havendo perda da posse individual dos riquíssimos em favor do bem comum. Essa é, para minha ignorância, uma certeza matemática.

Mas liberais jamais admitem confirma-la. Eu acho que Arminio tem enorme contribuição a dar ao Brasil – já a tem dado – mas dizer de Luciano q ele é “uma pessoa de espírito público” é propaganda política. Viajar em avião próprio é ter espírito particular. Eu nada tenho contra Luciano – mal o conheço – mas o Brasil q Luciano conhece é o da pobreza espetacularizada num programa de TV.

O grupo do PSDB se organizada em torno de Luciano porque ele é famoso e dócil ao comando. É má política, na minha opinião. Outra venda de ilusão e irrealidade. Quem conhece o Brasil são os pobres. Nós, os ricos, bem fazíamos em calar e ouvi-los. Certamente eles sabem o que fazer por eles mesmo melhor do que nós.

Todo projeto de poder q pretende liderar o povo é sempre autoritário. A liberdade é abdicar do poder em favor dos outros.

View this post on Instagram

Bom dia. Sugiro entrevista com Armínio Fraga, concedida a BBC Brasil mas publicada tb na Folha. Sugiro por ter me chamado atenção a pouca objetividade das respostas. Eu tenho simpatia pelo entrevistado. Não o conheço pessoalmente, nada entendo de economia, pouco posso avaliar a competência dele… Minha simpatia é intuitiva; é simpatia por pessoa que me parece honesta. Mas a política, e sua escravidão contemporânea a publicidade, é um veneno sutil. Acredito que Arminio tem respostas muito mais objetivas às perguntas q lhe fizeram mas o estar engajado no projeto político de eleger Luciano Hulk pelo PSDB o faz prudente, conveniente, político por mais que ele diga não o ser. A simpatia q ele afirma por um Estado q combata a desigualdade me pareceu um movimento q visa se apoderar do ideais (e das práticas?) das esquerdas para fins eleitorais. Ao mesmo tempo ele mantem-se um defensor das ideias liberais. É uma proposta de convivência do que haveria de melhor no liberalismo e na agenda social que FHC já manifestou. Posso dar crédito a sinceridade desse projeto contanto q ele se explicite detalhadamente; o q Armínio não me parece fazer na entrevista. A desigualdade só será combatida havendo perda da posse individual dos riquíssimos em favor do bem comum. Essa é, para minha ignorância, uma certeza matemática. Mas liberais jamais admitem confirma-la. Eu acho que Arminio tem enorme contribuição a dar ao Brasil – já a tem dado – mas dizer de Luciano q ele é “uma pessoa de espírito público” é propaganda política. Viajar em avião próprio é ter espírito particular. Eu nada tenho contra Luciano – mal o conheço – mas o Brasil q Luciano conhece é o da pobreza espetacularizada num programa de TV. O grupo do PSDB se organizada em torno de Luciano porque ele é famoso e dócil ao comando. É má política, na minha opinião. Outra venda de ilusão e irrealidade. Quem conhece o Brasil são os pobres. Nós, os ricos, bem fazíamos em calar e ouvi-los. Certamente eles sabem o que fazer por eles mesmo melhor do que nós. Todo projeto de poder q pretende liderar o povo é sempre autoritário. A liberdade é abdicar do poder em favor dos outros.

A post shared by Pedro Cardoso (@pedrocardosoeumesmo) on

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!