Apoio de procuradores às vésperas do julgamento de Deltan mostra o medo de serem investigados. Por Kakay

Deltan Dallagnol e Roberson Pozzobon em audiência pública na Assembleia Legislativa do Paraná em 24 de outubro de 2016. Foto: Pedro de Oliveira/Alep

É muito bom ver os Procuradores da Força Tarefa de Curitiba, em estranho e deprimente apelo, virem em público fazer nota e gravar vídeo para demonstrar o medo que eles estão de serem investigados e julgados.

Aquela empáfia toda que caracterizava as tais coletivas de imprensa nos dias de operação, cede lugar a um ridículo e inoportuno vídeo para pressionar o CNMP e sensibilizar a mídia que sempre os apoiou.

Por feliz coincidência, o produto que abre o vídeo promocional é o adoçante FINN.

Realmente estes procuradores são o FIM da picada. E ver o medo e desespero deles não tem preço… Como bem disse o poeta maranhense: a vida dá, nega e tira.

Não adianta os procuradores saírem, pelos mais diversos motivos, pois as investigações devem continuar.

Afinal é a máxima que eles falavam: ninguém está acima da lei.

Vamos garantir aos procuradores todas as garantias constitucionais.

Mas vamos cobrar uma investigação séria, os abusos foram inúmeros.