Às custas do contribuinte, primo do torturador Ustra curte a vida em Orlando, ao lado de Bolsonaro. Por Leandro Fortes

Atualizado em 22 de fevereiro de 2023 às 0:45
Marcelo Ustra da Silva Soares exibe apenas sobrenome “Ustra” em uniforme do Exército Brasileiro / Reprodução/Facebook

Marcelo Ustra é tenente-coronel do Exército e está curtindo a vida, em Orlando, Flórida, ao lado do chefe e ídolo fascista Jair Messias Bolsonaro. Foi incluído na lista de 28 servidores da corte de inúteis que Bolsonaro levou para os Estados Unidos quando fugiu, antes de concluir o mandato de presidente. O militar é primo de segundo grau do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, único torturador condenado da ditadura militar, que chefiava o Doi-Codi, em São Paulo, centro de tortura onde mulheres eram estupradas e tinha ratos enfiados na vagina pelo próprio.

Pois bem, via redes sociais, Ustrinha desejou que o primo ressuscitasse para, após uma noite de conversa com Alexandre de Moraes, no Doi-Codi, fazer o ministro do STF voltar às fraldas.

O que se tem registrado é um oficial superior do Exército Brasileiro fazendo apologia a tortura com base no conhecimento existente sobre as sevícias praticadas pelo primo famoso, o coronel Brilhante Ustra, com presos políticos pendurados em paus-de-arara.

Publicação feita por Marcelo Ustra da Silva Soares no Facebook em novembro de 2021 / Reprodução/Facebook

Ustrinha deve ter ouvido, nos animados almoços dominicais da família, que a sequência de eletrochoques, pancadas com pedaços de ferro e introdução de fios e cabos no ânus, na vagina e na uretra provocam, ao cabo das sessões de tortura, provocavam perda das funções da bexiga e do esfíncter dos torturados.

É sobre isso que essa besta-fera, de férias em Orlando, bancado por dinheiro público, está fazendo piada, ao lado de um delinquente moral, genocida, foragido da nação.

Por isso, repito: se não tratarmos da questão militar, agora, da próxima vez que tiver uma chance, um outro Ustra estará de volta aos porões, pronto para honrar o legado assassino da família.

Participe de nosso grupo no WhatsApp, clique neste link

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link