‘As pessoas estão felizes com os russos’: o porta voz do ministério da defesa ucraniano fala ao DCM

Vladimir Seleznev, porta-voz do Ministério da Defesa ucraniana na Crimeia
Vladislav Seleznev, porta-voz do Ministério da Defesa ucraniana na Crimeia

Forças russas tomaram mais uma base militar (Feodosia) ucraniana na Crimeia na segunda-feira (24). A operação utilizou veículos blindados, helicópteros e ocorreu troca de tiros. Soldados leais a Kiev ficaram feridos e alguns foram feitos prisioneiros. Não houve mortos.

Os militares ucranianos manifestaram a intenção de abandonar Feodosia desde que a bordo dos próprios veículos e de posse de todo o armamento. Já Moscou exigia que os ucranianos deixassem todas as armas e equipamentos. Deu-se assim mais uma das batalhas que, desde sábado, vêm acontecendo para a Rússia assumir o controle de todas as unidades militares resistentes à mudança de poder.

O ministro da defesa da Ucrânia, Igor Teniukh, renunciou e a marinha do país perdeu quase a totalidade de seus navios na Crimeia. Mais de 200 unidades ucranianas içaram a bandeira russa e mais da metade dos soldados mudou de lado.

O DCM falou com Vladislav Seleznev, porta voz do Ministério de Defesa ucraniano na Crimeia, sobre o novo cenário de seu país. Seleznev tem 30 anos e mora na capital, Simferopol. Segundo ele, “muitas pessoas estão felizes pelo fato de a região ter se tornado russa”.

 

Ainda há focos de resistência?

Os militares na Crimeia estão em uma situação muito difícil. Não temos nenhuma ordem concreta de Kiev quanto à retirada do exército. O governo dá declarações, mas não há nenhum passo firme na prática. Hoje, praticamente todas as bases militares estão tomadas pelos russos. Nós as defendemos por semanas e não nos entregamos, mas a ajuda da Ucrânia não chegou. Eu sinto muito por isso, as nossas forças são significativamente menores.

O poder nos deixou sozinhos com os nossos problemas. Mas os ucranianos são maravilhosos e nos ajudaram. Os soldados russos nos prometem muita coisa boa, enquanto a Ucrânia não promete nada. Muitos soldados ucranianos estão inclusive prontos para servir o exército russo, mas isso é contra a lei.

A votação a favor da Rússia representou o desejo da população?

Sim, há muitas pessoas na Crimeia que estão felizes pelo fato de a região ter se tornado russa. Mas não são tantas como foi mostrado pelo resultado do referendo. Muitos russos e ucranianos foram contra o referendo. Os tártaros da Crimeia, por exemplo, não votaram e só eles são uns 300 mil. Na Crimeia vivem 2,5 milhoes de pessoas, portanto considero exagerado que 95% dos moradores tenham optado pela integração russa.

Quais são as perspectivas?

Para mim, é dificil fazer avaliações por todo o país, isso é tarefa do presidente interino da Ucrânia e não há muita clareza nas ações. Como resultado disso, o grupo das forças armadas ucranianas ficou desmoralizado. Não sabemos quantas pessoas conseguiremos retirar para o território ucraniano, também não sabemos quais são os planos da Rússia ou se essa situação irá continuar. É possível que prossiga a invasão para dentro do nosso país.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!