Bannon, conselheiro dos Bolsonaros, é despejado de abadia na Itália com seu grupo

Eduardo Bolsonaro e Steve Bannon (Foto: Reprodução/Twitter)

PUBLICADO NO PORTAL DA UNISINOS

POR GIOVANNA CASADIO, DO LA REPUBBLICA, COM TRADUÇÃO DE LUISA RABOLINI

No vale e entre os montes Ernici, festeja-se quando chega a notícia de que Steve Bannondeve desalojar. Alberto Bonisoli, cujo coração bate pelo partido 5Stelle, decidiu revogar a concessão ao ex-estrategista de Donald Trump, que na esplêndida Cartuxa de Trisulti decidiu criar a “escola dos novos gladiadores” em defesa do Ocidente.

Além disso, o projeto consistia em coordenar todos os partidos soberanistas da UE e de uma universidade para formar futuros líderes populistas. Bem no coração do caminho de San Benedetto, percorrido por milhares de peregrinos todos os anos, na abadia cisterciense de 1204 que abriga uma farmácia e uma biblioteca entre as mais belas da Itália.

“O que não teve sucesso para Hillary Clinton, está funcionando conosco: parar Bannon”, brinca Daniela Bianchi, porta-voz da rede comunitária de solidariedade e ex-conselheira regional. Houve marchas de protesto, a pressão de Nicola Fratoianni, líder da esquerda italiana, a carta aberta ao Ministério de Nicola Zingaretti, mas também a convicção do subsecretário Gianluca Vacca e, finalmente, o empenho de Bonisoli.

O Mibac pretende anular a concessão que, no final de 2017, foi dada pelo governo para a fundação de Benjamin Harnwell, o “thoug gay”, o sujeito durão em que Bannon confia totalmente. O think tank de Harnwell chama-se Dignitatis Humanae e tem um conselho de garantia onde tem assento Raymond Burke, o cardeal conservador norte-americano que é um grande adversário da mudança aportada à Igreja Católica pelo Papa Francisco.

Apenas um trabalho meticuloso e rigoroso conseguiu analisar o castelo de credenciais apresentado pela fundação, revelando sua inconsistência e às vezes até sua falsidade. Principalmente, no plano financeiro: o Banco dinamarquês apresentado como garantia, desmentiu tê-la fornecido.

Não houve durante os últimos anos trabalhos de manutenção e recuperação. A concessão da parte previa um aluguel de 100 mil euros por ano por 19 anos a ser pago na forma de restruturação da abadia e outros 80 mil em impostos municipais.

O subsecretário Vacca explica que, tendo enviado a documentação ao Procurador Geral, a resposta chegou há alguns dias: os requisitos são inadequados, não existem. O comitê de cidadãos espera o relançamento. Harnwell, que se mudou para Trisulti na abadia regional, levantou o alarme contra “os perigos que ameaçam o Ocidente e suas raízes judaico-cristãs”.

Para Fratoianni, ganhou Davi contra Golias: “Agora precisamos de um projeto para a recuperação da Cartuxa. Mas algumas questões permanecem em aberto: por que a abadia foi dada a Bannon um ano e meio atrás?”

Abadia de Trisulti (Imagem: reprodução)

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!