Steve Bannon foi preso pelo Correio dos EUA

Publicado no Vox

O ex-assessor sênior da Casa Branca Steve Bannon deixando o tribunal, depois de testemunhar no julgamento de Roger Stone em 8 de novembro de 2019, em Washington, DC. Alex Wong / Getty Images

POR NICOLE NAREA

O Serviço Postal dos Estados Unidos pretende fazer justiça contra o ex-estrategista-chefe da Casa Branca Steve Bannon.

Pode não surpreender tanto que Bannon, frequentemente descrito como um vigarista, tenha sido pego em um esquema para fraudar doações para uma campanha de crowdfunding que prometia construir um muro na fronteira EUA-México.

Mas foi uma surpresa para alguns que o USPS (US Postal Service), a mesma agência que o presidente Donald Trump tentou paralisar antes de um aumento esperado de votos a favor do correio em novembro, realizou a prisão de seu ex-assessor em um mega-iate de US$ 28 milhões chamado Lady May, na costa de Connecticut na manhã desta quinta-feira (20):

Estes não são seus transportadores de correio comuns: eles são parte integrante de uma unidade policial de elite conhecida como US Postal Inspection Service (USPIS), que luta contra o crime desde que o estatuto de fraude postal foi promulgado em 1872. Existem cerca de 1.200 inspetores que carregam armas, fazem prisões, executam mandados de busca federais e entregam intimações. Todos os agentes devem completar um programa de treinamento de 16 semanas que cobre armas de fogo, preparação física e táticas defensivas. Em 2019, eles fizeram 5.759 prisões e 4.995 condenações relacionadas a crimes postais, de acordo com o USPS.

“Eles dizem: ‘Oh, vocês são muito parecidos com o FBI’. E eu gosto de dizer a eles: ‘Não, o FBI é muito parecido com a gente’”, diz um agente do USPIS em um vídeo de recrutamento:

Muitas vezes, eles se unem a outras autoridades federais, estaduais e locais para investigar roubo de correspondência, fraude, estelionato, tráfico de narcóticos, investigações sobre opioides, golpes de loteria e muito mais. As investigações às vezes duram anos.

No caso de Bannon, eles colaboraram com Audrey Strauss, a procuradora dos Estados Unidos no Distrito Sul de Nova York. Não está imediatamente claro por que o USPIS se envolveu, já que nenhuma das acusações lançadas contra Bannon – conspiração para cometer lavagem de dinheiro e fraude eletrônica – parecem estar diretamente relacionadas ao correio, e o USPIS se recusou a comentar sobre a investigação, que está em andamento.

O inspetor responsável pela divisão de inspetores postais de Nova York, Philip Bartlett, disse em um comunicado que a acusação de Bannon deveria enviar uma mensagem a outros fraudadores: “Ninguém está acima da lei”.

“Os réus supostamente se envolveram em fraude quando falsearam o uso real dos fundos doados”, disse Bartlett. “Como alegado, eles não apenas mentiram para os doadores, mas planejaram ocultar sua apropriação indébita de fundos criando faturas e contas falsas para lavar doações e encobrir seus crimes, sem mostrar respeito pela lei ou pela verdade”.

Claramente, o USPS não vende apenas selos – ele também atua para erradicar o crime.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!