VÍDEO – Bemvindo Sequeira: “Bolsonaro transforma o 7 de setembro numa data de terror”

O ator e humorista Bemvindo Sequeira fala sobre o ato golpista promovido por Bolsonaro em 7 de setembro.

No dia em que se comemora a Declaração de Independência do Brasil do Império Português, o presidente convocou o gado para ir às ruas protestar contra o STF.

No vídeo, publicado em seu canal no YouTube, Bemvindo Sequeira lamenta:

“O que deveria ser uma data festiva para todo o Brasil passa a ser uma ameaça à vida, à democracia, às instituições, aos trabalhadores, com o desatino bolsonarista de manifestações fascistas neste dia.”

Leia também:

1. VÍDEO: Bemvindo telefona para o bolsonarista Sérgio Reis
2. VÍDEO – Bemvindo diz que sigilo “virou moda no governo fascista de Bolsonaro”
3. VÍDEO – Bemvindo diz que “provas de fraude” de Bolsonaro viraram o “pum do palhaço”

Bolsonaro pode decretar Garantia da Lei e da Ordem no 7 de setembro

O presidente pode decretar Garantia da Lei e da Ordem em 7 de setembro. Ele alegaria risco de violência nas manifestações marcadas para a data que comemora a Independência do Brasil.

“Nos bastidores, existe preocupação de parlamentares, ministros do STF e mesmo integrantes das Forças Armadas com o 07 de setembro em Brasília. Se avalia a hipótese de atos de desestabilização motivados pelo discurso do presidente. Alguns países foram alertados por embaixadores”, iniciou o jornalista Renato Souza, da Record.

“Fontes das Forças Armadas descartam qualquer investida golpista em apoio ao Executivo. Mas outras, da área operacional, dizem que depende da ordem e de quem estará no comando da tropa no dia. A preocupação maior é com a Polícia Militar nos estados. Tensão se estende para 2022”, prosseguiu.

“Esta preocupação gerou a reunião dos governadores, que ocorre amanhã. Eles comandam as PMs e darão recado contra insurgências. O Exército monitora as polícias militares e o Judiciário mantém diálogo com as instituições. Mas ninguém sabe o que poderia ocorrer em caso de distúrbios”, continuou o repórter.

“Avaliasse que o risco de atos generalizados é mínimo. A preocupação é com ações isoladas, que poderiam dar problemas. Se espera por distúrbios maiores com a proximidade das eleições”, acrescentou.

“Começou a circular a informação de que o presidente Jair Bolsonaro pretende decretar GLO nacional no dia 07, alegando a necessidade de conter atos de violência. Assim, seria constitucionalmente permitido o uso de tropas das Forças Armadas em Brasília e São Paulo”, concluiu Renato.