Biden foi vitória do povo americano, mas não nos enganemos: EUA continuarão belicistas. Por Bresser-Pereira

Publicado no Facebook

2011: Biden conversa com soldados americanos no Iraque.
Foto: US Air Force

Por Luiz Carlos Bresser-Pereira

A vitória de Biden foi uma vitória do povo americano, foi uma vitória das pessoas de cor e das mulheres. Foi, para todos nós, uma vitória da democracia e dos direitos humanos, que Trump ameaçava. Foi uma derrota do populismo de extrema-direita.

Mas não nos enganemos. Os Estados Unidos continuarão imperialistas e belicistas. Continuarão procurando impor o liberalismo econômico ao resto do mundo, embora o fundamentalismo de mercado tenha fracassado mais uma vez em 2008.
Continuarão fazendo guerras no Oriente Médio, as quais, ou se transformam em simples derrotas, como foi o caso da Síria, ou em vitórias de Pirro, como foi no Iraque, na Líbia e no Afeganistão.
E nós, no Brasil, continuaremos com o pior dos dois mundos, com o populismo de extrema direita e com o fundamentalismo de mercado.

Há uma saída democrática, desenvolvimentista, social e ambiental, mas para caminhar nessa direção os brasileiros precisam rejeitar o liberalismo desenfreado e pensar de maneira solidária, republicana e realista.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!