Bill Gates: não adianta tentar salvar a economia e “simplesmente ignorar a pilha de corpos” do coronavírus

Publicado no Inc

Bill Gates. Foto: Wikimedia Commons

Por Don Reisinger

Bill Gates é uma das pessoas mais ricas do mundo. Ele também é um dos principais filantropos do planeta. Então, as pessoas estão prestando atenção agora. Ele fez uma grave advertência sobre o mais recente surto de coronavírus e o que isso poderia significar para a economia.

Falando por vídeo em um evento do TED Connects na terça-feira, Gates disse que acredita que o mundo deveria se desligar e as pessoas deveriam se auto-isolar por seis a dez semanas, de acordo com a CNBC, que assistiu à apresentação. E embora ele reconhecesse que esse bloqueio seria “desastroso” para a economia, questionou se haveria outra opção.

“É muito difícil dizer às pessoas: ‘Ei, vá a restaurantes, compre casas novas, ignore a pilha de corpos no canto, queremos que você continue gastando porque há algum político que acha que o crescimento do PIB é o que conta”. Gates disse, de acordo com a CNBC: “É difícil dizer às pessoas durante uma epidemia… Que elas deveriam fazer as coisas sabendo que sua atividade está espalhando a doença”.

É um enigma que foi discutido em mais detalhes nos últimos dias, com o presidente Donald Trump sugerindo que ele pode querer reabrir o país e levar as pessoas ao trabalho até meados de abril, e epidemiologistas e outros especialistas sugerindo que essa mudança poderia anular a decisão do sistema de saúde pública e pôr em risco mais vidas.

Para as empresas, os comentários de Gates, que se tornou uma das principais vozes em saúde pública, podem ser preocupantes, para dizer o mínimo. Por um lado, existe a possibilidade de manter o país fechado por mais alguns meses e as conseqüências econômicas que o acompanham. Por outro lado, está a possibilidade de colocar a vida das pessoas em perigo.

Isso, é claro, ressalta a enorme necessidade de as empresas terem planos de contingência, se e quando a economia fechar, como agora. Usar a tecnologia para o teletrabalho e encontrar soluções para manter os funcionários conectados é fundamental.

Isso também significa que as empresas não devem necessariamente esperar que estejam fora de perigo em breve. Afinal, se Gates estiver correto, esse momento difícil poderá continuar no futuro próximo.

O pior de tudo, diz Gates, isso poderia ter sido evitado. Ele argumentou em sua apresentação no TED que os EUA não reagiram rápido o suficiente em janeiro, quando soube pela primeira vez do COVID-19. Pior ainda, ele disse que ainda estamos despreparados se outra pandemia ocorrer.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!