Bolsonarista Álvaro Garnero, cujo pai, Mário, organizou encontro de Trump e Bolsonaro, era brother de Aécio

Álvaro Garnero em selfie com Trump em Miami

O encontro entre Bolsonaro e Trump ocorrido na Flórida no sábado, 7, foi organizado pelo empresário Mário Garnero, através do Fórum das Américas.

Garnero desfilou no evento com seu filho, apresentador de TV e playboy Álvaro Garnero. O jantar foi no resort Mar-a-Lago, em Palm Beach.

Álavaro postou uma selfie com Trump exibindo sua dentadura alvar ao lado do líder americano com a seguinte legenda;

Olaa! Mto feliz! Esse sorriso dele diz tudo! Ele me disse uma frase que jamais vou esquecer: “Alvaro mto obrigado, seu Pai Mário fez um grande trabalho ter colocado eu e o presidente @jairmessiasbolsonaro mais uma vez reunidos, aproximando novamente USA e Brasil!” 

Mário Garnero transita há décadas entre governos de esquerda, direita, centro, militares e civis, Brasil e exterior, céu, inferno e onde mais tiver dinheiro.

Dono da Brasilinvest, apresentou o então coordenador da campanha de Lula, José Dirceu, ao presidente americano de plantão, George W. Bush.

Os Garneros fizeram a ponte de Bolsonaro com Douglas Tavolaro, vice-presidente da Record naquele momento, hoje na CNN. Álvaro tem um programa de turismo lá, com uns pontinhos no Ibope, como quadro no Domingo Espetacular.

Dá-se bem com os bispos.

Chegou a se filiar ao PRB, Partido Republicano Brasileiro, à época o partido de Marcelo Crivella. “Meu pai sempre foi amigo dos Bush e eu sou tarado pelo Ronald Reagan”, disse. 

Álvaro (centro) com Accioly e Aécio num réveillon na Bahia em 2009

Com pinta de havaiano de filme, 45 minutos de bronzeamento por dia, sempre de banho tomado, ele é “amigo” de Eduardo e esteve em seu casamento no passado no Rio.

Antes de Eduardo, era chegado de Aécio Neves. Muito. Já não são mais vistos juntos porque Aécio está mais queimado que palito de fósforo de churrasco e milionários não têm amigos.

Nos bons tempos, fazia parte da patota que incluía Luciano Huck, Ronaldo Fenômeno, Marcos Buaiz e Alexandre Accioly.

Tenho dois amigos bem palhaços. Álvaro Garnero, primo da Astrid [Monteiro de Carvalho, com quem Accioly teve um filho após um relacionamento de uma noite], e meu querido Aécio Neves”, disse Accioly, apontado como laranja de Aécio na Lava Jato.

Álvaro foi expulso, juntamente com a namorada, a modelo Caroline Bittencourt (morta num acidente de barco em 2019), do casamento de Ronaldo com Daniella Cicarelli numa crise de ciúme da noiva.

“Eu não iria deixar minha namorada ir embora sozinha da festa”, contou ele, que chegou ao Castelo de Chantilly com quatro amigos no Rolls Royce do avô.

Seu filho, Álvaro II (inacreditável), estava entre os jovens que provocaram um bate-boca com Chico Buarque numa noite carioca de 2015, num vídeo que viralizou (no pé desta matéria).

Os Bolsonaros passarão e os Garneros ficarão, abraçados a quem estiver no poder.

Álvaro e o pai Mário Garnero (dir.) com o presidente dos EUA
Álvaro no casamento de Eduardo Bolsonaro
Álvaro e Aécio quando o mar estava para peixe

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!